Tendência

Alta nos combustíveis impulsiona venda de motos no país

De acordo com a Fenabrave, vendas em outubro subiram 24% comparados ao ano anterior

Os altos preços dos combustíveis estão mudando os hábitos dos brasileiros. Um dos setores que mais cresceu no último ano foi o de motocicletas. De acordo com a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores), 1,1 milhão de motos foram vendidas no Brasil e ainda há filas de espera nas concessionárias.

Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), principal entidade representante do mercado, afirma que existe 30 milhões de unidades em circulação e mais de  35,2 milhões habilitados na categoria A. Ainda segundo a entidade, outubro de 2022 teve o melhor desempenho em vendas desde 2014, produzindo mais de 137 mil unidades.

O cenário positivo se deve a disparada no preço dos combustíveis. Em junho deste ano, os preços do litro do diesel e da gasolina foram os maiores registrados desde 2004, quando a ANP passou a fazer o levantamento semanal. A crescente incentivou motoristas a procurarem por alternativas mais econômicas para se locomoverem dentro e fora da cidade. Enquanto uma moto de 125 cilindrada faz a média de 40 km por litro, um automóvel faz 10km por litro.

Outro fator decisivo para o consumidor está no preço dos veículos. Enquanto um carro popular custa em média 60 mil reais, uma moto 0Km podem custar 17 mil reais. Além disso, o mercado motociclístico foi muito impulsionado pela economia durante a pandemia, com serviços de entrega, moto táxi e delivery.

 combustíveis
combustíveis

Preços dos combustíveis continua a subir

Segundo o Índice de Preços Ticket Log (IPTL), o preço médio do litro da gasolina avançou 1,6% em novembro,  passando de R$5,24 no mês anterior, para R$ 5,32.  O preço mais alto da gasolina foi registrado em postos do Norte do país, alcançando o valor de R$ 5,47 na bomba.  O mais barato foi no Sudeste, que apresentou acréscimo de 1,49%, chegando a R$ 5,12.

Já o etanol, foi constatado que regiões como Centro-Oeste, Sudeste e Sul apresentaram altas de 6,80%, 5,70% e 4,54%. A região com maior alta foi o Centro-Oeste, onde o combustível passou de R$ 3,69 em outubro para R$ 3,94 em novembro. No Norte, o etanol registrou R$ 4,62 o litro –  o mais caro do país, seguido pelo Nordeste com postos comercializando o litro a R$ 4,17. Na Paraíba, estado com o etanol mais barato, o litro está em média R$ 3,62.

 

Ainda de acordo com o Índice de Preços Ticket Log (IPTL), o preço médio do diesel voltou a subir após três meses de quedas consecutivas. O litro subiu 0,8% nos postos, alcançando a marca de $ 7,02 o litro, uma alta de 25% comparada ao mesmo período no ano anterior, quando o valor máximo foi de R$ 5,61 o litro.

 

Apesar da Petrobras não aumentar os preços às distribuidoras desde junho de 2022, as altas nos preços continuam. O cenário atual reafirma a elevada demanda de produção e venda de motos no país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios