Tendência

Usina de hidrogênio verde será apresentada na Intersolar South America, em São Paulo

Energia produzida através do hidrogênio verde é uma tendência mundial em busca da descarbonização e da sustentabilidade do planeta

A produção de hidrogênio verde a partir de usinas solares será uma das inovações apresentadas na Intersolar South America, entre 23 e 25 de agosto, em São Paulo. A solução é considerada uma das principais tendências mundiais para atender à demanda crescente de energia no futuro.

De acordo Leandro Kuhn, CEO da L8 Group, a produção de hidrogênio exige um alto consumo de eletricidade e a solução apresentada pela empresa alia a geração de energia solar ao processo, consumindo eletricidade produzida pelo próprio sistema fotovoltaico. “É uma alternativa ambientalmente sustentável, com utilização de fonte renovável e que não gera resíduos ao longo da produção. Ao ser aplicado como fonte de energia, o hidrogênio não emite gases poluentes como o gás carbônico, apenas vapor de água, o que também contribui para minimizar o aquecimento global”, explica.

Mercado em expansão

A demanda por sistemas fotovoltaicos vem crescendo significativamente no Brasil nos últimos anos e, segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar e Fotovoltaica (Absolar), a geração de energia solar em residências deve dobrar ainda neste ano.

De acordo com Guilherme Nagamine, diretor da L8 Energy, muitos consumidores já perceberam as vantagens de investir em sistemas fotovoltaicos.  Entre os fatores que impulsionam o setor, ele destaca o apelo ambiental e de sustentabilidade, com mais pessoas buscando fontes renováveis, aliado aos benefícios econômicos. “Com a energia elétrica cada vez mais cara no Brasil, mais famílias estão investindo em geração própria, para reduzir os custos. Há ainda o incentivo fiscal previsto no Marco Legal de Geração Distribuída que isenta os impostos até 2045 para quem instalar um sistema fotovoltaico até 07 de janeiro de 2023”, destaca.

A geração de energia solar no país alcançou em junho 16.414 MW de potência instalada, o equivalente a 8,1% de toda a matriz energética brasileira, conforme informações divulgadas no início de julho pela Absolar. Com isso, o setor fotovoltaico passou a ser o terceiro maior gerador de eletricidade no país, atrás apenas da energia hídrica, que representa 53,9% e da eólica, com 10,8%.

Usina de hidrogênio verde será apresentada na Intersolar South America

O que é o Hidrogênio Verde?

A descarbonização do planeta é um dos objetivos estipulados por países de todo o mundo até 2050. Nesse sentido, a descarbonização de um elemento como o hidrogênio — responsável atualmente por mais de 2 % das emissões totais de CO2 no mundo —, que resulta no hidrogênio verde, se revela como um dos pontos-chave.

Porém, a nossa forma de vida precisa de cada vez mais watts para funcionar. As últimas estimativas da Agência Internacional da Energia (AIE), publicadas no final de 2019, vaticina um aumento da demanda global de energia entre 25 e 30 % até 2040 o que, em uma economia dependente do carvão e do petróleo, significaria mais CO2 e o agravamento das mudanças climáticas. Porém, a descarbonização do planeta nos propõe um mundo diferente até 2050: mais acessível, eficiente e sustentável e movido por energias limpas como o hidrogênio verde.

Esta tecnologia está baseada na geração de hidrogênio — um combustível universal, leve e muito reativo — por meio de um processo químico conhecido como eletrólise. Este método utiliza a corrente elétrica para separar o hidrogênio do oxigênio que existe na água. Por esta razão, se essa eletricidade for obtida de fontes renováveis, então produziremos energia sem emitir dióxido de carbono na atmosfera.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios