Inédito: Terra recebe energia solar do espaço

De acordo com os especialistas, essa técnica pode ser útil para fornecer energia a locais afastados ou que sofreram com conflitos ou catástrofes naturais.

Cientistas conseguiram um avanço significativo na geração de energia: pela primeira vez, o planeta Terra recebe energia solar do espaço.

Em janeiro de 2023, uma sonda solar experimental foi lançada e usada para transmitir energia de volta à Terra. Para isso, foi enviado um foguete da SpaceX na missão Transporter-6, que levou a sonda Space Solar Power Demonstrator (SSPD-1) de 50 quilos ao espaço através da espaçonave Momentus Vigoride.

Terra recebe energia do espaço: entenda o processo

No dia 1 de junho, os pesquisadores do Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) anunciaram o êxito da operação de energia solar espacial. O experimento MAPLE (Microwave Array for Power-transfer Low-orbit Experiment) foi responsável por demonstrar a transferência sem fio.

O MAPLE é uma das três tecnologias principais em teste pela sonda SSPD-1, que é o primeiro protótipo espacial do Projeto de Energia Solar Espacial da Caltech (SSPP). O experimento consiste em uma matriz de transmissores de energia de micro-ondas, impulsionados por chips personalizados construídos com materiais de silício de baixo custo.

Adicionalmente, o sistema MAPLE é composto por duas matrizes de receptores distintas localizadas a uma distância de aproximadamente 30 centímetros do transmissor. Estes receptores captam a energia transmitida e a convertem em eletricidade de corrente contínua, utilizada para acender um par de LEDs.

Na órbita, cada LED foi acionado separadamente e em sequência alternada. Ali Hajimiri, co-diretor do SSPP, afirmou em um comunicado que “a partir dos experimentos realizados até o momento, foi possível confirmar que o MAPLE é capaz de transmitir energia com sucesso para receptores no espaço”.

A energia transmitida foi recolhida por um receptor localizado no topo do Laboratório de Engenharia Gordon and Betty Moore, no campus da Caltech. O sinal captado foi apresentado nos tempos e frequências esperados, bem como a mudança de frequência correta prevista para sua viagem a partir da órbita.

Os cientistas têm em mente que o Sistema de Energia Solar de Potência (SSPP) se transforme, no futuro, em uma constelação de naves espaciais modulares que captam a luz do sol, a convertem em eletricidade e transformam em micro-ondas que serão transmitidas sem fio por longas distâncias.

A energia solar espacial é extremamente importante, uma vez que é uma forma de aproveitar um suprimento quase ilimitado e não sujeito aos ciclos de dia e noite, estações e cobertura de nuvens. A produção de energia é oito vezes maior do que a gerada pelos painéis solares em qualquer lugar da superfície da Terra. O fato de que a Terra recebe energia solar do espaço pela primeira vez representa um grande avanço.

sistemas de GD instalados no Brasil
Imagem ilustrativa/arquivo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios