Reymaster levanta a bandeira da eficiência energética

Programa de Eficiência Energética do governo federal surgiu em 1985, mas até agora pouco foi feito sobre o assunto

Apesar de seu enorme potencial, o Brasil está bem atrasado em termos de eficiência energética, amargando a penúltima posição no ranking internacional a respeito do tema entre as 16 maiores economias do mundo, à frente somente do México. Para a Reymaster Materiais Elétricos, que completou 35 anos no mês de agosto, tal realidade ressalta, por um lado, a falta de investimentos e, por outro, a grande capacidade de economia do setor elétrico brasileiro – e a necessidade de falar sobre o assunto.

“Uma vez que o Programa de Eficiência Energética do governo federal surgiu em 1985 por meio da Portaria Interministerial n° 1.877, há exatos 37 anos, nós nascemos cerca de dois anos depois, já levantando a bandeira para pessoas físicas e jurídicas fazerem mais com menos”, explica o fundador da Reymaster Materiais Elétricos, Reynaldo Gabardo Jr., que fundou a empresa paranaense com a família na garagem da casa onde residiam, em Curitiba, iniciando as atividades com a distribuição da primeira linha de fusíveis da Eletromec. A partir de 1989, eles passaram a comercializar e distribuir artigos de eletricidade junto aos revendedores do mercado paranaense.

Tudo o que você precisa saber sobre eficiência energética

Em 1996, graças ao crescimento contínuo, Marco A. Stoppa ingressou na sociedade trazendo seus conhecimentos da área industrial e ajudando no crescimento da empresa. Aos poucos, a “Família Reymaster” foi ampliando as linhas de distribuição, especializando-se cada vez mais em materiais elétricos para as indústrias de várias vertentes da economia, tanto na construção civil, quanto nas fábricas químicas, metalúrgicas, automotivas, alimentícias, papeleiras etc.

Em 2004, a empresa identificou a necessidade de novas instalações e, por isso, inaugurou sua nova sede na Vila Lindoia, com 4 mil metros quadrados. Com o crescimento contínuo, a necessidade de espaço crescia e a empresa foi adquirindo terrenos vizinhos. Hoje ocupa uma área de 10 mil metros quadrados. Além disso, de Curitiba, a Reymaster passou a atuar também em Joinville (SC). De dois funcionários, no início, agora são 210, todos devidamente capacitados, prática interna que permite não só o desenvolvimento contínuo dos colaboradores, mas que impacta diretamente na qualidade e na eficiência dos processos, bem como a relação com clientes e a lucratividade, sendo reconhecida como uma das dez maiores revendas de materiais elétricos do país. “E as contratações não param: neste momento, inclusive, a empresa está com vagas abertas para as áreas de promotoria técnica, vendas internas e externas, orçamentos e conferência”, comenta Reynaldo.

De acordo com dados da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), a indústria brasileira responde por mais de 30% do consumo final de energia e quase 40% da eletricidade consumida no Brasil. É claro que todo esse gasto é repassado ao consumidor final. “São os equipamentos presentes nas instalações industriais, usados no dia a dia, muitas vezes ininterruptamente, como motores, bombas e compressores, que impactam a demanda de energia, sendo os maiores vilões. Estamos trabalhando com afinco o conceito de que investir em eficiência energética não é um gasto. Pelo contrário: é uma economia a pequeno, médio e longo prazo, a qual, inclusive, pode ajudar a baratear produtos e serviços”, explica Stoppa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios