Tendência

Novas tecnologias contribuem para redução do uso de energia nas indústrias

País possui uma das tarifas mais caras do mundo e indústria busca soluções para otimizar o uso de energia

Segundo um balanço divulgado pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o uso de energia elétrica no Brasil cresceu 68.095 megawatts no primeiro trimestre de 2022, alta de 0,9% em relação ao mesmo período de 2021. De acordo com a EPE (Empresa de Pesquisa Energética) e a ANA (Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico), ambas ligadas ao governo federal, a indústria e agricultura são os setores que mais consomem energia elétrica no Brasil.

A indústria é um dos setores que mais consome energia. Por outro lado, também é uma das fontes que mais perde por conta do desperdício. Diante disso, e com o objetivo de contribuir com o contínuo crescimento da indústria, empresas de tecnologia no Brasil e no mundo têm investido em pesquisas e estudos para desenvolvimento de tecnologias capazes de contribuir para a redução do uso de energia nas indústrias, diminuindo assim os impactos causados pelo alto consumo e oferecer soluções de redução de custo e uso consciente dentro do polo industrial.

Entre as soluções disponíveis no mercado estão projetos de automação, engenharia elétrica, softwares, além da fabricação de acessórios inteligentes e mais econômicos, que representam até 80% na redução do consumo de energia.

 

Redução do uso de energia nas indústrias: engenharia elétrica é o primeiro passo

Muitas empresas se conscientizaram de que análises minuciosas sobre sua estrutura e o uso e disposição de suas instalações elétricas podem ser fatores decisivos na redução do consumo de energia elétrica. Há um aumento considerável na busca por empresas especializadas em projetos de engenharia elétrica para redução dos custos. O CEO Roberto Payaro, da Novvalight, conta que nos últimos meses percebeu um aumento considerável de empresas em busca de soluções para minimizar os custos com energia elétrica, por meio de projetos luminotécnicos. “Cerca de 1/3  das empresas que nos procuram aderem à solução, já que a consultoria visa a eficiência energética e a segurança; gera maior e melhor aproveitamento da área; melhor visibilidade dos produtos; maior produtividade e grau de proteção para a segurança dos colaboradores; menores custos de energia, com manutenção e troca de equipamentos; e maior lucro e competitividade no mercado” – afirma.

Os projetos fazem um mapeamento que analisa tipo, quantidade e disposição das lâmpadas, a planta do local, análise das estruturas e das atividades executadas, mapeamento dos pontos de claridade X a incidência de luz natural, evita que sejam instaladas luzes em excesso e que falte instalação de pontos de luz que prejudicam a execução das atividades e o rendimento da produtividade. Um projeto é capaz de reduzir em até 80% o consumo de energia local.

uso de energia
uso de energia

Investimentos em novas tecnologias é fator determinante

Embora esse cenário esteja mudando, é possível perceber que antigas estrutura e processos de fabricação ainda utilizados pela indústria costumam ser responsáveis pela baixa eficiência econômica no consumo de energia elétrica.

Os projetos de engenharia necessitam de modernização para apresentarem resultados consideráreis. Entre as soluções disponíveis no mercado estão os bancos capacitores que possuem tecnologia para identificar oscilações elétricas nas instalações e máquinas e corrigi-las automaticamente. Esses painéis possuem eficiência comprovada de redução de consumo e uso inteligente do consumo de energia reativa.

De acordo com o consultor técnico da Engerey, Reynaldo Carraro Gabardo, fabricante dos bancos capacitores, muitas empresas acabam pagando a mais na conta de energia sem realmente estarem usando. “A correção através do banco de capacitor traz economia e eficiência. Uma indústria que pagava multa de R$ 3.500,00 por exceder o limite de consumo de energia reativa, após a instalação dos painéis elétricos, teve o retorno do investimento em menos de um ano” –  conclui.

Além disso, premissas básicas como a revisão do uso de lâmpadas e materiais antigos são necessárias. As lâmpadas de LED, por exemplo, possuem eficiência e economia. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux), o uso de tecnologia LED em lâmpadas e luminárias reduz de 50% a 70% o consumo de energia na iluminação. Além de diminuir o consumo de energia, a medida é mais amigável ao meio ambiente, proporciona maior conforto visual e maior nitidez aos usuários, já que promove um facho de luz mais direcionado e com maior índice de reprodução de cores.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios