Quinto maior mercado de energia solar do mundo: as previsões para o Brasil

Até 2032, a capacidade instalada acumulada da fonte de energia em território nacional ultrapassará a de países como Austrália e Japão

Em menos de 10 anos, o Brasil está previsto para se tornar o quinto maior mercado de energia solar do mundo, ultrapassando países como Austrália e Japão, de acordo com as projeções da Wood Mackenzie. A capacidade instalada acumulada no país deve superar a dessas nações até 2032. São ainda R$ 56 bilhões de investimentos acumulados para o modelo de energia solar em telhados de residências, segundo mapeamento da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).

Segundo o estudo mais recente da empresa de pesquisa e consultoria, divulgado na última quinta-feira (12), o mercado fotovoltaico brasileiro ficará atrás apenas da China, Estados Unidos, Índia e Alemanha ao final de 2032.

Atualmente, o Brasil ocupa a oitava posição no ranking de capacidade instalada em energia solar no mundo, conforme dados da IRENA (Agência Internacional de Energia Renovável). No ano passado, o país entrou pela primeira vez no top 10, subindo seis posições no ranking da entidade.

Quando o ranking da IRENA foi compilado, o Brasil registrava 24 GW de capacidade total de energia solar instalada. Hoje, esse número já ultrapassa 34 GW.

O estudo da Wood Mackenzie também destaca que o mundo adicionará cerca de 320 GW de energia solar em 2023, um aumento de 20% em relação à previsão inicial feita no início do segundo trimestre deste ano. O crescimento contínuo é impulsionado por políticas de incentivo adotadas por muitos países e pelos preços cada vez mais atrativos da tecnologia. A expectativa é que a capacidade global de energia solar cresça a uma média anual de 4% nos próximos dez anos, atingindo 360 GW em 2032.

Brasil é o 4º país em número de empregos

Segundo uma pesquisa realizada pela Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA), o Brasil ocupa a quarta posição no mundo em termos de empregos no setor de energia solar. De acordo com o estudo, mais de 214 mil profissionais estão envolvidos na produção fotovoltaica brasileira, ficando atrás apenas da China, Índia e Estados Unidos.

A energia solar, consolidada como a segunda maior fonte energética do país, atraiu mais de R$ 33 bilhões em novos investimentos no primeiro semestre de 2023, conforme dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). Com esse expressivo investimento, a expectativa é que o mercado de trabalho no setor continue aquecido no final deste ano.

Atualmente, algumas das principais empresas do ramo estão com oportunidades de emprego. Algumas delas incluem:

77Sol: A startup, especializada na conexão de profissionais com consumidores interessados em projetos fotovoltaicos, está com cinco vagas disponíveis na área comercial, incluindo posições como Executivo de Contas Pleno e Executivo de Contas Sênior.

Evolua Energia: Esta empresa de transformação energética, focada em geração distribuída compartilhada, tem cinco oportunidades abertas, como Analista Financeiro (Tesouraria) e Vendedor Externo, destinadas a profissionais residentes em Minas Gerais.

Nextron: Reconhecida como a primeira climate tech do Brasil, a Nextron busca democratizar o acesso à energia sustentável. Com três vagas abertas nas áreas de CX (experiência do cliente), produtos e vendas, a empresa opera em 11 estados brasileiros.

Essas oportunidades refletem o crescimento contínuo do setor de energia solar no Brasil e o papel crucial que desempenha na criação de empregos e no impulso à transição para fontes de energia mais limpas.

Quinto maior mercado de energia solar pode ser brasileiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios