Queda da tarifa de energia elétrica da Itaipu Binacional é de 19,5%

Após reunião extraordinária entre Brasil e Paraguai, a tarifa de energia elétrica da usina refletirá em contas de luz um pouco mais baixas para os brasileiros. A Binacional é responsável por 8,6% da energia utilizada no país.

A tarifa de energia elétrica da usina Itaipu Binacional baixou em 19,5% e deve refletir como 1% a menos na conta de luz dos brasileiros. Isso porque a usina, pertencente ao Brasil e Paraguai, produz 8,6% da energia consumida no país. A medida de redução foi aprovada nesta segunda-feira (17) pelo Conselho de Itaipu Binacional em reunião extraordinária na sede do Ministério de Minas e Energia, em Brasília (DF), em videoconferência com a sede de Itaipu em Assunção, no outro país. A tarifa passa de US$ 20,80 para US$ 16,71 por kilowatt/hora mensal até o final de 2023.

Com esta nova definição, terminou a prática provisória do Brasil utilizar uma tarifa bem menor, no caso US$ 12,67, por decisão do ex-presidente Jair Bolsonaro e sem a aprovação do Paraguai. Conforme explica o diretor brasileiro da usina, Enio Verri, essa tarifa reduzida causou um prejuízo de US$ 150 milhões para a usina Itaipu Binacional. 

Os conselheiros dos dois países chegaram a um consenso sobre o Cuse (Custo Unitário dos Serviços de Eletricidade), que significa o custo para a produção de energia da Itaipu Binacional, com inclusão das despesas de exploração, como a operação, manutenção, gestão da empresa e os projetos socioambientais; os encargos do Anexo C, como pagamento dos royalties; e empréstimos e financiamentos.

 tarifa de energia elétrica
tarifa de energia elétrica

Impasse resolvido – A reunião aconteceu com bastante resistência dos paraguaios para aceitar uma redução da tarifa de energia da usina. O objetivo do Paraguai era manter acima de US$ 20. Segundo Verri, a queda do valor corresponde a benefícios para o consumidor de energia sem causar prejuízo para a Itaipu, como o fornecimento de energia limpa e renovável para o Brasil e o Paraguai, além da continuidade dos projetos socioambientais e de investimentos no desenvolvimento sustentável dos dois países. “Este acordo representa o respeito mútuo entre Brasil e Paraguai. Chegamos a um consenso binacional, com uma redução significativa, mantendo a capacidade da Itaipu para investimentos sociais, ambientais e em infraestrutura”. 

Para o Brasil, essa tarifa de energia da usina é um dos fatores levados em conta  para definição da Tarifa de Repasse, aplicada pela ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica) ao consumidor. Lembrando que a Tarifa de Repasse é a somatória do Cuse, da remuneração paga ao Paraguai pela energia cedida, entre outros componentes. Este valor é homologado pela ANEEL e cobrado pela ENBpar (Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional) das distribuidoras de energia. 

Saiba mais:

– Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,9 bilhões de MWh. 

– Esta foi a primeira reunião realizada com os novos conselheiros nomeados pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Este conselho da Binacional é formado por 12 membros: seis do Brasil e mais seis do Paraguai. 

– A reunião do Conselho ocorre a cada dois meses ou se houver convocação extraordinária, como a realizada nesta segunda-feira (17). Sempre participam dois representantes dos ministérios das Relações Exteriores, um de cada país.

– No ano passado, a Itaipu Binacional foi responsável por 8,6% do suprimento de eletricidade do Brasil e 86,3% do Paraguai. Com 20 unidades geradoras e 14 mil MW de potência instalada, a Itaipu Binacional é líder mundial na geração de energia limpa e renovável, tendo produzido, desde 1984, 2,9 bilhões de MWh.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios