Projetos de painéis fotovoltaicos devem crescer mais em 2023

Apesar da taxação com o novo marco legal (Lei 14.300/22) estar valendo desde 7 de janeiro, as instalações de energia fotovoltaica praticamente dobraram ano passado. E a prospecção do mercado é que o setor siga em pleno crescimento.

Se alguém achou que as cobranças do Marco Legal da Geração Distribuída (Lei 14.300/22) trariam queda ao segmento, ficou surpreso com o resultado. Dede 7 de janeiro deste ano, após o prazo de 12 meses, os novos projetos de painéis fotovoltaicos (placas solares usadas para transformar a energia da luz do Sol em energia elétrica) são taxados pelo uso da rede de distribuição (taxa ‘Fio B’), porém algumas vantagens mantém o setor bastante aquecido, como o pedido de homologação até 6 de janeiro deste ano que garantiu isenção do pagamento até o ano 2045. 

Neste prazo de um ano muitas pessoas conseguiram garantir a isenção da tal taxa, fato que alavancou ainda mais o crescimento dos investimentos nos projetos de painéis fotovoltaicos. Para se ter uma ideia, em 2022, o potencial instalado no Brasil deste tipo de geração de energia deu um salto: de 14.154 MW, em 2021, para aproximadamente  24.000 MW, em 2022.

Pela nova lei ainda há mais vantagens para investidores em projetos de painéis fotovoltaicos: toda energia elétrica produzida a partir dos projetos de painéis fotovoltaicos não será taxada quando for consumida instantaneamente. A cobrança será apenas para a energia produzida e injetada na rede sob o regime de crédito a ser abatido da conta. Agora, um percentual desse crédito é retido pela concessionária a título de tributação.

Mas é claro que haverá algum impacto e isso deve ocorrer, principalmente com as residências. Observe: na maior parte do tempo, os setores comerciais e industriais estão em atividade durante o dia, fazendo consumo instantâneo da energia das usinas fotovoltaicas. Já no setor residencial, o uso costuma ser mais à noite, levando residências a serem mais dependentes do sistema de créditos que passou a ser taxado neste ano.

projetos de painéis fotovoltaicos
projetos de painéis fotovoltaicos

PanoramaDo potencial total de energia elétrica instalada no Brasil, a geração por painéis fotovoltaicos responde por 11,6%. É a segunda matriz elétrica em potencial instalado no Brasil, ficando atrás apenas da geração de energia por usinas hidráulicas (50,7%), segundo dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

O segmento experimenta um crescimento acentuado, principalmente, a partir de 2017, com incentivos fiscais que desoneraram a compra de equipamentos. Dados da ANEEL mostram que existem 1.653.941 usinas fotovoltaicas conectadas com a rede, 78,8% são residenciais, 10,8% comércio e serviços, 8,4% rural e 1,7%, industrial, o restante são projetos instalados pelo Poder Público.

AlternativaUma opção para tentar evitar o pagamento pela utilização da rede é o crescimento dos investimentos em sistemas de armazenamento de energia solar, que pode ser avaliada como uma tendência neste ano de 2023.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios