Produção de energia renovável alcança recorde histórico no Brasil em 2023

O país gerou 70.206 megawatts médios de energia através de suas usinas hidrelétricas, eólicas, solares e de biomassa

Em 2023, o Brasil alcançou um marco significativo ao atingir um recorde na produção de energia renovável, impulsionado por recursos naturais abundantes, como sol, vento e água. De acordo com dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o país gerou 70.206 megawatts médios de energia por meio de suas usinas hidrelétricas, eólicas, solares e de biomassa.

Esse volume representa uma parcela notável de 93,1% de toda a eletricidade produzida durante o ano, o maior percentual já registrado na história do país. Alexandre Ramos, presidente do Conselho de Administração da CCEE, destaca que esse cenário reforça o papel de liderança do Brasil na transição energética global.

“Com alguns dos melhores recursos naturais, como ventos favoráveis e insolação única, o Brasil se destaca internacionalmente. Nos próximos anos, a abertura do mercado livre de energia para toda a alta tensão, já em vigor desde janeiro, deve impulsionar ainda mais a demanda por energias renováveis.”

Além disso, outras fontes renováveis também apresentaram números expressivos. As hidrelétricas, que compõem cerca de 58% da capacidade instalada da matriz energética brasileira, contribuíram com quase 50 mil megawatts médios para o Sistema Interligado Nacional (SIN), registrando um crescimento de 1,2% em relação ao ano anterior.

Os parques eólicos e fazendas solares em todo o país produziram mais de 13 mil megawatts médios, um aumento de 23,8% em relação ao ano anterior, impulsionado por condições climáticas favoráveis e pela expansão da capacidade instalada. A geração de energia a partir da biomassa também registrou um leve aumento de 9,6%, totalizando 3.218 megawatts médios.

Além disso, o segmento de micro e minigeração distribuída, representado por instalações de painéis solares em residências e estabelecimentos comerciais, experimentou um crescimento significativo, elevando a capacidade instalada para 25.818 MW ao final de 2023, um avanço de 42,5% em relação a 2022.

Essa expansão na geração de energia renovável não apenas reduz a demanda no Sistema Interligado Nacional, mas também tem impactos positivos no meio ambiente, como demonstrado pela diminuição do índice de emissão de carbono. Em 2023, o Brasil atingiu a menor taxa dos últimos 11 anos, com 38,5 kg de dióxido de carbono por megawatt/hora (MWh) gerado, de acordo com o SIN.

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) destaca que o aumento do uso de energia limpa traz vantagens estratégicas para a indústria brasileira, não apenas por seu menor impacto ambiental, mas também por sua maior eficiência econômica, resultando em preços finais de produção mais competitivos.

“O Brasil está na vanguarda da transição energética, com uma participação significativa de fontes renováveis na matriz energética, e continua em uma trajetória sustentável, expandindo e diversificando cada vez mais o uso dessas fontes limpas e renováveis”, destaca Roberto Muniz, diretor de Relações Institucionais da CNI.

Este conteúdo está alinhado aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), especialmente os ODS 07 – Energia Limpa e Acessível e 13 – Ação Global Contra a Mudança Climática.

potencial de energia renovável
potencial de energia renovável

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios