Tendência

Preço médio da gasolina sobe na primeira semana de 2023 e ultrapassa os R$5

Os primeiros dias de 2023 foram marcados pela alta nas bombas de combustíveis pelo país.

Os primeiros dias de 2023 foram marcados pela alta nas bombas de combustíveis pelo país. O preço médio da gasolina subiu de R$4,96 para R$5,12. De acordo com Agência Nacional do Petróleo (ANP), esse já é o segundo aumento seguido. 

O diesel também subiu: passou de R$ 6,25 para R$ 6,41 por litro em média, interrompendo cinco semanas de queda. Foi um aumento de 2,56%. O aumento ocorre em um momento em que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) pediu a instauração de inquérito para apurar possíveis irregularidades na alta de preços dos combustíveis no país este ano.

O preço médio da gasolina, assim como dos demais combustíveis deram origem a uma das principais discussões no início do mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Depois de tomar posse no domingo (1º), Lula assinou uma MP (medida provisória) que prorrogou a desoneração sobre esses produtos.

Com a manutenção do corte de tributos federais PIS e Cofins, Lula buscou evitar uma grande pressão inflacionária logo no começo do governo. A desoneração, adotada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), iria somente até 31 de dezembro de 2022.

Com a ampliação, o corte dos impostos vai até o fim de fevereiro para gasolina (que também terá isenção de Cide durante o período), etanol, querosene de aviação e gás natural veicular —além da nafta.

Preço médio da gasolina sobe

Preço médio da gasolina

A Medida Provisória, que foi publicada nesta segunda-feira (02), também desonera até o fim de fevereiro a alíquota da Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) sobre as operações que envolvam apenas a gasolina e suas correntes, exceto a de aviação.

Também será mantida até 28 de fevereiro a desoneração do PIS/Pasep e da Cofins para o querosene de aviação e para o gás natural veicular, o GNV. No caso do diesel, biodiesel, e do gás de cozinha, as alíquotas desses mesmos tributos foram zeradas até o fim de 2023. A tributação sobre a importação de todos esses combustíveis também foram zerados, dentro dos respectivos prazos.

Política de preços Petrobras

O próximo presidente da Petrobras, Jean Paul Prates (PT-RN), defende uma nova política de preços da Petrobras e é um dos grandes críticos do atual modelo praticado pela petroleira, o PPI (Preço de Paridade Internacional). Em diversas ocasiões, Prates falou em mudar a política de preços da estatal e, para momentos de exceção, a criação de um fundo de estabilização para conter a variação dos combustíveis. Lula escolheu Jean Paul Prates para Petrobras.

“O PPI, mesmo hoje, já varia de região para região. Quando a gente fala de extinguir o PPI, parar de usar o PPI como referência, não é que vamos desgarrar o preço completamente do mercado internacional. O país não é louco. Não vamos criar uma economia paralela no Brasil”, declarou Prates.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios