Preço e quantidade importada de óleos de combustíveis teve queda em junho

A relação entre preço e quantidade importada tem afetado os pequenos importadores brasileiros

s últimos dados da Secretaria de Comércio Exterior demonstram que a importação de óleos de combustíveis teve uma queda no valor e quantidade importada de maio para junho, de 39.05% e de 46.27%, respectivamente. Comparando junho de 2021 e de 2022, houve um aumento de 47.39% no valor importado e uma redução de 27.89% na quantidade importada. No mês passado, o governo federal já tinha proposto reduzir o preço dos combustíveis até o final do ano e apresentou uma lista de países que optaram por baixar os tributos para enfrentar a alta de preços do petróleo na economia. 

De acordo com o Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás (IBP), o Brasil produz 3 milhões de barris de petróleo por dia e consome 2,5 milhões, mas, ainda assim, precisa importar 30 mil barris por dia. Leonardo Baltieri, cofundador da Vixtra, fintech de comércio exterior, explica que a razão disso é porque algumas refinarias brasileiras não conseguem refinar alguns tipos de petróleo e, por isso, precisam continuar comprando combustível de fora do país e vendendo excesso de petróleo bruto não refinado.

“A baixa oferta e o preço alto inviabilizam a importação dos pequenos importadores e pode comprometer o abastecimento do país”, explica Baltieri. Em contrapartida, a falta de contêineres, bloqueio de portos e as eleições estão contribuindo para essa volatilidade. “Essa queda do valor e quantidade importada de óleos de combustíveis se trata do encarecimento de produtos e matérias-primas em decorrência dos fretes mais altos, falta de itens para produção e de outros produtos, como os combustíveis, por exemplo, que tiveram uma alta significativa nos últimos meses.

Óleos de combustíveis tem preço em queda em junho

Alta nos preços do óleos de combustíveis

O IBP (Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás) defende que o preço dos combustíveis continue atrelado ao mercado internacional. A instituição afirmou que a medida “assegura o abastecimento nacional e a manutenção de um mercado equilibrado e atrativo aos investimentos”. Desde 2016, a Petrobras adota o PPI (preço de paridade internacional), que equipara os preços dos combustíveis do mercado interno aos de importação. 

Em nota, o IBP disse que a guerra da Ucrânia acentuou a “volatilidade dos preços”, prejudicando o mercado de petróleo que se recuperava dos efeitos da pandemia. “A Rússia é o maior exportador mundial de petróleo e derivados, além de ser o principal fornecedor de gás natural para a Europa e um grande exportador de carvão e urânio de baixo enriquecimento usado para alimentar usinas nucleares”.

De acordo com o IBP, “todos os países têm sido impactados por esta conjuntura, o Brasil entre eles. A principal preocupação aqui é com o mercado de diesel, em função da alta utilização do modal rodoviário e da complementação por importações para o abastecimento do mercado. Em 2021, 23% das vendas de diesel no país foram provenientes de importações, segundo dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios