Tendência

Preço do barril de petróleo fica abaixo de US$ 100 com temores de crise global

Crise econômica global afunda o preço do petróleo, mas as altas seguidas de dólar não permitem que o recuo no preço da commodity seja sentido no mercado interno

O preço do barril de petróleo caiu após um surto de vírus na China e previsões de inflação mais alta nos EUA piorarem os temores de uma desaceleração econômica global. O West Texas Intermediate, petróleo de referência americano, perdeu até 5,5% para US$ 98.40 o barril. A diminuição da liquidez deixou os preços vulneráveis a movimentos bruscos do mercado. O Brent na semana passada registrou sua terceira maior queda em valor absoluto de todos os tempos.

Se a notícia poderia levar a crer em uma queda no preço dos combustíveis no Brasil, segundo economistas, entretanto, as altas seguidas do dólar ainda não permitem que o recuo no preço da commodity seja sentido no mercado interno.

O petróleo está em baixa desde o início de junho devido a crescentes temores de que os EUA possam estar a caminho de uma recessão, e bancos centrais em todo o mundo têm aumentado os para combater a inflação.

No Brasil, por exemplo, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central anunciou seu último aumento dos juros em Junho. A chamada Selic subiu de 12,75% para 13,25% ao ano. Este foi o 11º aumento seguido para conter a inflação.

O presidente americano, Joe Biden,  espera que o grupo Opep+, formado por Arábia Saudita, Rússia e outros produtores, aumente a produção em uma reunião em 3 de agosto. O mercado apertou este ano, em parte devido às sanções contra a Rússia após a invasão da Ucrânia.

Barril do petróleo em queda

Com queda do petróleo, preço do diesel volta a ter defasagem no Brasil

Segundo dados da Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom), com a queda no preço do barril de petróleo, o preço do diesel no Brasil voltou a ter defasagem em relação ao praticado no mercado internacional.

Além do preço do petróleo, a disparidade de preços em relação ao exterior também é influenciada pelo dólar, já que as cotações lá fora são dolarizadas. A moeda americana não para de subir e hoje está negociada a R$ 5,44.

Um levantamento produzido pelo professor Alberto Ajzental, da Fundação Getúlio Vargas (FGV) explica ainda que dois fatores impactam o preço do dólar e impedem que os brasileiros sintam os benefícios da baixa do preço do barril de petróleo: o aumento de taxa de juros nos Estados Unidos e a situação político-econômica interna do Brasil.

“O mundo está em um cenário de muita inflação e todos os Bancos Centrais estão subindo a taxa de juros. Nos Estados Unidos, a subida dos juros fortalece o dólar. Outro problema é que o real também segue desvalorizado. A gente tem uma situação política muito delicada e vai começar o processo eleitoral”, afirma Ajzental.

Se durante boa parte do primeiro semestre os preços do barril de petróleo subiram por receios de que a produção seria insuficiente para suprir a demanda pelo produto, agora a situação mudou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios