Ouro negro, mas pode chamar de petróleo

Não é de hoje que o petróleo é valioso para o mundo

Ouro negro, mas pode chamar de petróleo. A indústria de extração do petróleo surgiu em meados do século XIX, quando, na Escócia, foi desenvolvido o processo de refinação do óleo. Nesta época, o Azerbaidjão era o maior produtor de petróleo. Sua produção correspondia a mais de 50% da produção mundial. No continente americano, o petróleo foi primeiramente encontrado no Canadá. Em 1859, iniciou-se a produção nos Estados Unidos, por meio de um poço de aproximadamente 21 metros perfurado, na Pensilvânia.

Em larga escala, passou a ser usado a partir do momento da criação dos motores movidos a gasolina ou a óleo diesel. Na década de 70, o petróleo representava o carro chefe da economia, correspondendo a quase 50% do consumo mundial de energia e mesmo que atualmente seu uso esteja dando lugar a fontes alternativas de energia, ainda é uma das fontes de energia mais utilizadas no mundo.

Matéria-prima

O petróleo é a matéria-prima de muitos produtos, como o gás natural, a gasolina, o gás liquefeito de petróleo (GLP), o querosene, o óleo diesel, a nafta petroquímica, os solventes, o asfalto, dentre outros. É utilizado também como base para a fabricação de plásticos, borrachas sintéticas, tintas, solventes, produtos cosméticos.

Ele é uma substância oleosa, cuja densidade é inferior à da água e é inflamável. É considerado um dos principais recursos naturais, utilizados como fonte de energia da atualidade. Constituído quase só de hidrocarbonetos, de cor escura, pode ser encontrado em depósitos muito extensos nas rochas sedimentares ou no fundo dos oceanos.

O petróleo tem a aparência de um líquido viscoso, menos denso que a água, e formado por uma mistura complexa de compostos orgânicos, principalmente hidrocarbonetos, compostos cujas moléculas são formadas somente por átomos de carbono e de hidrogênio, associados a pequenas quantidades de outras classes de compostos que contêm nitrogênio, oxigênio e enxofre.

Formação

Acredita-se que o petróleo tenha sido formado a partir de restos de seres vivos, animais e vegetais, ao longo de milhões de anos.  Calcula-se que existam reservas de petróleo com idade entre 10 e 500 milhões de anos. O processo de formação do líquido pode ter ocorrido com a acumulação de sedimentos. A matéria orgânica foi empurrada para partes ainda mais profundas, onde condições elevadíssimas de pressões e temperatura, bem como ausência de oxigênio, impediram que bactérias realizassem a decomposição rápida dessa matéria orgânica. Mas sob ação de bactérias anaeróbicas, decompôs-se ao longo de milhões de anos, gerando o petróleo.

Ele fica armazenado no interior de espaços vazios de rochas impermeáveis (arenito), chamadas de rochas-reservatório. É daí que vem o nome petróleo, que significa óleo de pedra. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) assim define petróleo: Todo e qualquer hidrocarboneto líquido em seu estado natural, a exemplo do óleo cru e condensado. São estes os tipos:

  • Petróleo Brent

Mistura de tipos de petróleo produzidos no Mar do Norte, oriundos dos sistemas petrolíferos Brent e Ninian.

  • Petróleo de Referência

Referência internacional de preços utilizada amplamente pelos agentes econômicos como indexador de contratos e que reflete as condições normais de mercado, dadas pela evolução da oferta e da demanda. Consiste em uma mistura de petróleos oriundos do Mar do Norte que alimenta o sistema de oleodutos Brent, a partir do campo Brent original e volumes adicionais produzidos em outros campos, para carregamento em navios petroleiros no Terminal Sullom Voe, no Reino Unido.

  • Petróleo de Xisto

Hidrocarboneto no estado líquido obtido por meio de um processo de transformação térmica em altas temperaturas de matéria orgânica na forma de querogênio.

  • Petróleo Estabilizado

Petróleo com pressão de vapor inferior a 70 kPa, na temperatura de medição.

  • Petróleo Extra-pesado

Extraído das areias betuminosas (“sand oil” ou “tar sands”), dos folhelhos oleíferos (“shale oil”), dos folhelhos ricos em matéria orgânica (“oil shale” ou xisto betuminoso) e das formações com baixíssima porosidade (“tight oil”).

  • Petróleo Leve

O mesmo que óleo leve: Classificação de natureza relativa, não padronizada e associada ao grau API. Em geral, são denominados óleos leves aqueles com densidade maior que 30º API.

  • Petróleo Mediano

Classificação de natureza relativa, não padronizada e associada ao grau API. Em geral, são denominados óleos médios aqueles com densidade entre 20 e 30º API.

  • Petróleo Pesado

Classificação de natureza relativa, não padronizada e associada ao grau de API. Em geral, são denominados óleos pesados aqueles com densidade entre 10 e 20º API.

www.petroleoenergia.com.br

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios