Petróleo e Energia

OTC – Primeira edição fora dos EUA comprova interesse pelo pré-sal

Julio Castro
4 de setembro de 2011
    -(reset)+

    Considerada a maior fronteira exploratória de petróleo e gás do planeta, a camada do pré-sal na costa brasileira atrai para o país a Offshore Technology Conference (OTC), realizada anualmente nos Estados Unidos há mais de quatro décadas. Visto como o maior congresso e feira de tecnologias de exploração e produção de hidrocarbonetos, a OTC terá sua primeira edição internacional: a OTC Brasil, marcada para 4 a 6 de outubro, no Riocentro, no Rio de Janeiro, nos mesmos moldes do encontro norte-americano.

    A despeito da crise financeira mundial (ou, talvez, até por causa dela), os organizadores mantiveram o que anunciaram em maio de 2010, em Houston, Texas: fariam uma primeira edição fora dos Estados Unidos. O evento chega ao Brasil, confirmando o interesse internacional no país, com a previsão de se repetir a cada dois anos.

    “Há um grande interesse mundial a respeito do que está acontecendo aqui. As empresas estrangeiras que atuam no setor estão interessadas em conhecer a tecnologia dominada pelas companhias brasileiras de exploração offshore em águas profundas e ultraprofundas”, avalia Wafik Beydoun, presidente do Comitê OTC Brasil e CEO da Total E&P Pesquisa e Tecnologia. “A maior nova fronteira exploratória do mundo hoje é, sem dúvida, o pré-sal; e em seguida vem o Ártico.”

    Ele destaca o papel dessa conferência para a inserção e transferência de tecnologia. “A ideia é que a OTC seja um catalisador de recursos e tecnologias por meio do intercâmbio de conhecimentos técnicos que ocorre durante o evento”, observa. “Há uma experiência tangível no Brasil em termos de pré-sal, mas o intercâmbio internacional é sempre benéfico.”

    “Escolhemos o Brasil porque as perspectivas na área offshore são muito animadoras. Com os investimentos no pré-sal e o desenvolvimento de novas tecnologias, os olhos do mundo estão voltados para o país”, afirma Mark Rubin, diretor executivo da OTC. “O Brasil é o melhor lugar para se fazer este evento fora dos Estados Unidos.”

    “O objetivo da OTC Brasil não é fazer negócios, mas criar um ambiente para juntar pessoas competentes para o desenvolvimento de novos conceitos”, frisa. “O Brasil é um dos líderes no desenvolvimento de tecnologias para águas profundas e ultraprofundas. Em escala mundial, a indústria poderia aprender com a inovação e a tecnologia que estão sendo desenvolvidas no Brasil”, avalia.

    Entre gigantes– Entre os destaques da programação da OTC Brasil 2011 estão as sessões técnicas, que abordarão questões relevantes da exploração offshore, como os desafios e soluções inovadoras para o desenvolvimento acelerado de campos de petróleo, garantia de escoamento, reservatórios carbonáticos, engenharia de poço, entre outros temas relevantes para essa indústria.

    Petróleo & Energia, OTC - Primeira edição fora dos EUA comprova interesse pelo pré-sal

    Juiniti, Beydoun e Rubin (esq. para dir.): o mundo de olho no Brasil

    Uma das sessões plenárias contará com a participação de especialistas da Schlumberger, Cameron e GE – empresas que anunciaram, nos últimos meses, a construção de centros de pesquisa no Brasil – e ainda de representantes da Associação Brasileira de Pesquisa e Desenvolvimento em Petróleo e Gás (ABPG), para debater os avanços tecnológicos consolidados com as parcerias entre universidades e a cadeia produtiva.

    Uma segunda sessão plenária reunirá técnicos das quatro gigantes na área de serviços offshore – Halliburton, Baker Hughes, Weatherford e Schlumberger – para debater as oportunidades e desafios para a cadeia de fornecedores no Brasil.

    Ao todo, em três dias, a OTC Brasil 2011 terá 24 sessões técnicas, 10 sessões especiais e duas plenárias. Além disso, serão realizados seis almoços/palestra por dia com alguns dos principais participantes do evento, que vão discorrer sobre o projeto BC-10 (Parque das Conchas), os desafios do financiamento em tempos de crise, e experiências de várias operadoras no mercado brasileiro.

    A plenária de abertura terá como tema “O Regime Regulatório Brasileiro para Atividadesem Exploração Offshoree de Produção de Gas”, que será apresentado por representantes da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

    “Vivemos um momento único de pesquisa e desenvolvimento. Muitas empresas vêm ao Rio, para perto das universidades, para desenvolver tecnologia, utilizá-la aqui e também levá-la para outros países, no futuro”, avalia Ricardo Juiniti, copresidente do Programa Técnico da OTC Brasil e gerente executivo de Operações em Poços da OGX.

    Exposição ampliada– Com a participação confirmada de 410 empresas, vindas de 23 países, a OTC Brasil teve sua área de exposição ampliada para 14.450 m², um acréscimo de 3.500 m² em relação ao espaço previsto inicialmente. Estarão presentes expositores tradicionais do evento e novas empresas, interessadas em abocanhar uma fatia desse mercado.

    Petróleo & Energia, Alex Freitas, Gerente comercial da Chemtech, OTC - Primeira edição fora dos EUA comprova interesse pelo pré-sal

    Alex: participação garante entrada em grupo seleto de fornecedores

    Confirmaram presença: Alpina Briggs, Altona, Altus, Apolo Tubulars, Baker Hughes, ABS, Bureau Veritas, Cameron, Caterpillar, Chemtech, Converteam, Forship, Gaia – The Solution Team, GE Oil & Gas, Global Industries, DNV, Halliburton, HRT, Keppel Fels Brasil, Mobil, OGX, HRT, Oil States, Subsea 7, Weatherford, Schlumberger, V&M do Brasil e WEG.

    “O grande número de empresas brasileiras que está expondo na OTC Brasil – associado ao grande interesse do mundo –, garante que esta será uma mostra verdadeiramente global e de grande representatividade”, avalia Stephen Balint, presidente do Conselho de Administração da OTC.

    A companhia industrial sueca Trelleborg apresentará seu portfólio de produtos para o setor offshore. O grupo estará representado pelas suas áreas de produtos Sealing Solutions (Soluções de Vedação), Offshore e Industrial Hose (Mangueiras Industriais). “O Brasil é uma região-chave para a nossa indústria”, observa Elisabete Askinis, gerente de tecnologia e qualidade da Trelleborg Industrial Hoses, lembrando que a empresa adquiriu uma fábrica, no ano passado, em Santana de Parnaíba- SP. “Essa unidade representa uma etapa importante para uma maior participação no país.”

    “Vamos apresentar o Trelleborg Group como um todo”, afirma Eric Bucci, gerente do segmento de petróleo e gás da Trelleborg Sealing Solution Americas. “A OTC Brasil é uma plataforma ideal para a apresentação das nossas soluções.”

    A americana Global Industries, responsável no Brasil pelo lançamento da tubulação no Campo de Mexilhão, na Bacia de Santos, também confirmou sua presença no evento. “A Global Industries participa como expositora da OTC em Houston há muitos anos e, por isso, resolveu apoiar a sua primeira edição no Brasil, que aparentemente começa bem, tendo em vista o número de expositores confirmados”, avalia Rosângela Nucara, gerente de comunicação e marketing da Global Industries para a América Latina.

    Grupo seleto – Empresa de origem brasileira, fundada em outubro de 1989 por três engenheiros químicos recém-formados pelo IME (Instituto Militar de Engenharia) e posteriormente comprada pela Siemens, especializada em soluções e prestação de serviços em engenharia e TI, a Chemtech também marca presença no evento. “Temos um histórico de participação na feira em Houston”, disse o gerente comercial da Chemtech, Alex Freitas. “A participação na primeira OTC realizada no país vai ser um momento especial para a Chemtech”, comemora. “Teremos a oportunidade de inserir a empresa em um grupo seleto de fornecedores de soluções para a indústria de petróleo mundial, mostrar nossa participação nos principais empreendimentos em andamento no país, além de apresentar nosso portfólio para potenciais clientes”, afirma.

    A gaúcha Altus, fornecedora de tecnologia para o setor de automação e controle de processos industriais, está na lista de expositores e também participará da programação técnica. “A Altus participou da OTC Houston 2011, que superou as expectativas em relação à visitação e ao público altamente qualificado em nosso estande”, diz a coordenadora de Marketing da Altus, Fabrícia Reis Lemos.

    “Vamos apresentar as tecnologias desenvolvidas para o setor, com destaque para as soluções desenvolvidas para os grandes contratos que assinamos recentemente com a Petrobras para a automação das oito primeiras plataformas FPSOs para as operações em larga escala do pré-sal”, detalha.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *