Tendência

O que é a Transição Energética?

A transição energética é uma mudança de paradigma que envolve não só a geração de energia, mas também o consumo e o reaproveitamento dela

A transição energética é a substituição de uma matriz energética baseada em combustíveis fósseis (como carvão, petróleo e gás) para uma outra baseada em fontes renováveis, como por exemplo a energia eólica e solar. O objetivo desse movimento é a descarbonização das atividades produtivas humanas a fim de brecar o aumento da temperatura média global e, consequentemente, amenizar as mudanças climáticas e os danos causados por elas.

A transição energética é o caminho mais necessário para a evolução da economia de baixo carbono. A transição pressupõe passagem, ou evolução, de uma condição a outra. Quando falamos em transição energética, tratamos de um novo estado das coisas, com um olhar mais amplo e sistêmico para a sustentabilidade ambiental e social.

O grande desafio está na atual conjuntura. 79% da produção mundial de energia é baseada em combustíveis fósseis. Como essa queima de combustíveis representa 87% das emissões mundiais de CO2, a transição energética é fundamental para cumprir as metas globais de descarbonização. 

Transição Energética: como começar?

Um dos campos mais promissores para o processo de transição energética evoluir é a eletricidade. No caso do Brasil, em particular, esse movimento já começou décadas atrás, com a iniciativa do país em investir na geração hidrelétrica. 

Além da geração de energia elétrica a partir do fluxo das águas dos rios, o país e o mundo têm investido em alternativas. Cada vez mais, a eletricidade tem sido obtida a partir da força dos ventos, da luz solar e de calor gerado a partir de biomassa, como os resíduos de origem vegetal ou animal.

o que é transição energética

Transição energética no Brasil


A produção e consumo de energia a partir de fontes renováveis é um aspecto tão importante quanto o acesso à energia elétrica no Brasil. Segundo o Banco Mundial, ainda existem 840 milhões de pessoas sem acesso à energia elétrica no mundo e é por isso que se fala em transição justa, pois ainda não é possível equilibrar o sistema e aumentar o acesso à energia somente com fontes renováveis em todos os casos. 

Nesse cenário, o gás natural funciona muitas vezes como um combustível intermediário, pois, embora seja de origem fóssil, tem menor emissão de CO2 em comparação a outros combustíveis fósseis. 

No Brasil, por exemplo, apesar da universalização da energia estar bem avançada, há populações isoladas que dependem de usinas termelétricas ou outras soluções locais. Atualmente, essa condição representa menos de 1% da carga total do sistema. 

Contudo, o país já tem um sistema energético renovável considerável, que pode representar 50% da matriz em 2022. Em termos de energia elétrica renovável, estamos ainda mais avançados, com cerca de 85% da nossa matriz de geração dentro desse espectro.

Prova do nosso bom desempenho é em relação ao ODS-7, que trata de energia limpa. Isso se reflete na baixa participação do setor elétrico no total das emissões brasileiras de gases do efeito estufa (GEE). 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios