Tendência

Montadoras investem em carros movidos a hidrogênio

Tecnologia a hidrogênio é a aposta do mercado automotivo

Parece que em breve uma era pode chegar ao fim –  a dos veículos a combustão. Com expectativas positivas de que até 2050 o planeta terá as emissões de carbono praticamente zeradas, muitas montadoras já estão na corrida para desenvolver e aprimorar tecnologias que contribuam com um futuro mais limpo.

Além dos carros elétricos, outra tecnologia tem ganhado espaço em diversos países, são os motores a hidrogênio. Conhecidos pela sigla HICEV (Hydrogen Internal Combustion Engine Vehicle), são veículos movidos a hidrogênio, equipados com um motor de combustão interna, ou seja, a mecânica é a mesma, porém, ao invés de queimar diesel, gasolina ou etanol, utiliza-se do hidrogênio para seu funcionamento.

Embora para muitos seja novidade, a tecnologia surgiu em 1806. Projetado por Francois Isaac de Rivaz, o motor batizado de De Rivaz, funcionava por meio de uma mistura de hidrogênio e oxigênio. Ao longo dos anos, outros experimentos foram feitos, porém foi em 1970 que Paul Dieges, patenteou uma modificação em motores de combustão interna a gasolina, com funcionamento a hidrogênio.

A partir de 1970 montadoras de todo mundo passaram a desenvolver automóveis com motores a hidrogênio. A Mazda, desenvolveu o Wankel, um motor rotativo por hidrogênio, em seguida, a BMW testou entre 2005 e 2007 o Hudrogen 7. Outra marca a lançar um motor foi a divisão austríaca da Alsete GmbH, utilizado no Aston Martin Rapide S, nas 24 Horas de Nürburgring.

O Japão tem liderado os estudos a respeito da tecnologia, sendo o país a mais usufruir da tecnologia em seus automóveis. O Toyota Mirai é a primeira produção em sério no mundo, está em sua segunda geração no Japão, mas ainda não tem previsão de lançamento no Brasil. O carro é zero emissor de poluentes e está no livro dos recordes por ter rodado quase 1.400 km com um tanque. Outros modelos como o Corolla Cross, GR Corolla H2, GR Yaris H2 e recentemente a Hilux, já possuem versões do motor.

A Porsche também está em fase de avaliação de um carro da sua linha. Um estudo feito no circuito de Nurburgring, sobre o potencial dos motores movidos a hidrogênio foi feito com o motor V8 twin-turbo de 4,4 litros a gasolina, modificado para rodar com hidrogênio. A intenção é compreender como um motor de alto desempenho se comporta com o combustível. Diferente do Toyota Mirai, o veículo usa o elemento como parte de uma reação química que gera energia para alimentar um motor elétrico.

O hidrogênio é o único combustível à base de água, pode ser queimado em um motor de combustão interna com diversas misturas combustível-ar e reduz em praticamente zero a emissão de poluentes emitidos pelo escapamento do automóvel, ou seja, a combustão do motor não gera emissões de CO, CO2 (dióxido de carbono), SO2 (dióxido de enxofre), HC ou MP.

Esperamos estar com os dias contados para extinguir a emissão de poluentes emitidas por veículos automotores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios