Indústrias querem migrar para mercado livre de energia em 2024

Hoje são cerca de 10 mil empresas industriais que já realizam negócios diretamente com as geradoras ou comercializadoras de energia. E mais de 40 mil indústrias estão prontas para migrar ao mercado livre de energia. Com isso,  cada unidade consumidora poderá economizar entre 15% e 20% na conta de luz

Um grupo de indústrias está em contagem regressiva para migrar ao mercado livre de energia em 2024. O benefício compreende as indústrias e empresas consumidoras de alta tensão a partir de uma portaria que foi editada pelo Ministério de Minas e Energia (MME). No documento, elas poderão começar a operar no mercado livre a partir de 1º de janeiro do próximo ano.

Elas fazem parte dos consumidores do Grupo A (indústrias e os estabelecimentos comerciais de grande porte), contemplados por receberem energia elétrica em tensão igual ou superior a 2,3 kV ou  atendimento a partir de sistema subterrâneo de distribuição. 

Atualmente, aproximadamente 10 mil já negociam direta e livremente com as geradoras ou comercializadoras de energia. A informação é um dos destaques da pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), realizada em outubro de 2022 com 2.016 empresas: 794 pequenas, 724 médias e 498 grandes. 

Mais da metade delas, que é obrigada a adquirir energia junto às concessionárias, deseja migrar para o mercado livre de energia em 2024. A CNI estima que cada uma economizará entre 15% e 20% na conta de luz. De acordo com a Sondagem Especial Indústria e Energia, 59% das grandes empresas obtêm fornecimento do mercado livre, sendo 52% exclusivamente deste mercado.

Entre as indústrias de médio porte, 57% estão no sistema cativo e 25% consomem exclusivamente via mercado livre. Já entre as pequenas, 70% obtêm energia do mercado cativo e apenas 6% estão totalmente no mercado livre.

mercado livre de energia em 2024

Planejamento – O especialista da CNI em Energia, Roberto Wagner Pereira, explica que este ano é para as indústrias estudarem o mercado, planejar e fazer contas sobre a viabilidade de ingressar no mercado livre de energia em 2024. “Mais de 40 mil indústrias terão condições de migrar”.

Em uma sondagem, 59% das grandes empresas afirmam que há possibilidade de migrar para o mercado livre. Em relação às de médio porte, o índice é de 61%. Entre as pequenas empresas, 48% indicam grande interesse. 

A energia elétrica é a principal fonte para 78% das indústrias do Brasil. Na sequência vem óleo diesel (4%), gás natural (4%), lenha (3%) e bagaço de cana (2%). Das regiões, o Sul é onde há maior percentual de empresas indicando a energia elétrica como a fonte principal (85%). Também é a principal fonte de energia para 81% das pequenas empresas, 79% das empresas de médio porte e para 77% das grandes empresas.

Entenda sobre Mercado Livre de Energia

Como o próprio nome sugere, trata-se de um ambiente livre para negociações de energia elétrica em todas as condições, tais como: fornecedor, preço, quantidade de energia contratada, período e formas de pagamento. Os compradores podem obter a energia que desejar, negociar diretamente com os agentes geradores e quem comercializa e escolher quem será o fornecedor do seu produto. 

O principal benefício deste ambiente é a liberdade em selecionar o contrato que seja mais interessante quanto ao custo benefício. É um novo potencial de economia, seguro e confiável para compra de energia elétrica por um valor negociável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios