Petróleo e Energia

Governo aponta linhão Manaus-Boa Vista como estratégico

Marcelo Fairbanks
28 de fevereiro de 2019
    -(reset)+

    Petróleo & Energia, Eletricidade

    Linha de transmissão de eletricidade

    Depois de reunião do Conselho de Defesa Nacional, em 27 de fevereiro, o Ministério das Minas e Energia concedeu o status de prioridade estratégica de defesa nacional para a construção da linha de transmissão de eletricidade entre Manaus-AM e Boa Vista-RR. Com isso, espera-se a aceleração dos trabalhos de construção da obra, que deverá ficar pronta até dezembro de 2021.

    O projeto desse linhão foi objeto de leilão em 2011 e sua entrega deveria ter sido feita em 2015, mas as dificuldades para obtenção de licenças ambientais e autorização para percorrer terra indígena impediram as obras. Dos 715 km de extensão, 120 km atravessam a terra dos Waimiri-Atroari. Uma vez considerada estratégica para a defesa nacional, a obra dispensará a anuência indígena. A vencedora do leilão de 2011, o consórcio Transnorte, já avisou que pedirá análise de reequilíbrio econômico-financeiro do projeto, apontando elevação de custos.

    A urgência na construção do linhão é um reflexo da profunda crise da Venezuela, país que supre aproximadamente 50% da eletricidade consumida em Roraima. A outra metade é fornecida por geradores a diesel, a um custo muito elevado, estimado em R$ 600 milhões apenas para 2019, valor que é repassado para as contas de eletricidade de todos os consumidores brasileiros. Sem a eletricidade venezuelana, essa conta subirá para R$ 1,7 bilhão. Em 2017 e 2018, a capital Boa Vista-RR sofreu 118 apagões, por falhas no país vizinho. Quando o linhão estiver pronto, Roraima finalmente participará do Sistema Interligado Nacional (SIN) e terá suprimento confiável de energia.

     



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *