Entrevistas

GE Oil & Gas investe para suprir demanda de águas ultraprofundas

Bia Teixeira
12 de fevereiro de 2015
    -(reset)+

    Química e DErivados, Patricia Vega, CEO da GE Oil & Gas

    Patricia Vega, CEO da GE Oil & Gas

    A GE Oil & Gas reforça investimentos no Brasil de olho na demanda crescente de tecnologias para águas ultraprofundas. De 2012 até agora, essa divisão da gigante GE investiu quase US$ 400 milhões na expansão de sua capacidade produtiva local, incluindo a instalação de nova planta fabril. E ampliou sua capacidade de prestação de serviços, com uma base logística em Niterói-RJ, que dispõe da maior grua do mundo. “Nesse montante não estão incluídos os investimentos de US$ 250 milhões no Centro de Pesquisas Global da GE no Rio de Janeiro”, frisa a presidente e CEO da GE Oil & Gas para América Latina, Patricia Vega. Graduada em Engenharia do Petróleo (Universidade de Santander) e com mestrado em Desenvolvimento de Tecnologia e Gerenciamento de Engenharia, a executiva de origem colombiana acumula 20 anos de experiência profissional na indústria do petróleo, com passagens pelos Estados Unidos, México, Colômbia e Brasil. Atuou em cargos de liderança na Halliburton, Baker Hughes, Schlumberger, além de curtos períodos na Ecopetrol, Total e BP. Sua indicação para comandar os 5,4 mil funcionários da GE Oil e Gas na região tem por objetivo desenvolver capacidades regionais e comprova a confiança no futuro da indústria no país. Patrícia concedeu entrevista exclusiva à jornalista Bia Teixeira, de Petróleo & Energia, afirmando que uma das grandes apostas da companhia hoje é desenvolver tecnologia para atender as necessidades de exploração em águas ultraprofundas.

    P&E – O Brasil é o terceiro maior mercado da GE. Qual o peso do setor de óleo e gás para a companhia neste mercado?
    Patricia Vega – O Brasil é um mercado chave para a GE Oil & Gas e para a GE como um todo. A divisão de petróleo e gás é a que cresce mais rapidamente na companhia. Não divulgamos resultados por país ou região, mas posso dizer que o faturamento global da GE Oil & Gas foi de US$ 17 bilhões em 2013, uma alta de 11% em relação ao ano anterior. Os números dos nossos investimentos demonstram a estratégia da GE para o mercado de petróleo e gás no Brasil.

    P&E – A GE manteve a decisão de investir US$ 1,3 bilhão no país até 2016, como anunciou o CEO Jeff Immelt. Qual a parcela desses investimentos que tem vínculo direto com o atendimento ao setor de petróleo e gás?
    P.V. – Apenas uma parte se refere ao setor de petróleo e gás. Em 2012, a empresa anunciou investimentos de US$ 262 milhões para ampliar seu parque fabril, distribuindo os recursos da seguinte forma: US$200 milhões para a fábrica de Niterói e US$ 32 milhões para a planta de Macaé, ambas no estado do Rio de Janeiro, e mais US$ 30 milhões para a unidade de Jandira-SP. Em 2013, a GE Oil & Gas iniciou uma operação de montagem e testes de turbomáquinas em Recife-PE, com US$ 20 milhões em investimento; e inaugurou a base logística de Niterói-RJ, com a maior grua do mundo e investimento de US$ 100 milhões.

    P&E – E o Centro de Pesquisas Global da GE, inaugurado recentemente no Rio de Janeiro?
    P.V. – São mais US$ 250 milhões nessa instalação, que dedicará a maior parte de seus projetos de pesquisa para o setor petrolífero. Para os próximos anos, o objetivo é atender à crescente demanda brasileira com a retomada das rodadas licitatórias no setor; desenvolver tecnologia local para necessidades de exploração em águas ultraprofundas; e simplificar processos para aumentar produtividade e eficiência nas unidades da América Latina.

    P&E – Por que essa distribuição de investimentos em várias regiões?
    P.V. – A GE busca expandir investimentos que vão além do eixo Rio-São Paulo. A empresa possui operações em todo o país, com unidades instaladas nos Estados da Bahia, São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro. A equipe local aproveita o conhecimento global da GE em engenharia e serviços de campo e a excelência em logística para garantir a qualidade e execução para os clientes no Brasil. Acreditamos e apoiamos o desenvolvimento da cadeia de petróleo e gás, apresentando soluções para atender as demandas específicas em diferentes regiões. O início dessas atividades permitiu a criação de mais de cem postos de trabalho por meio da GE e de seus parceiros, incluindo a italiana Navalmare e outros fornecedores locais.

    P&E – A GE afirma ter todos os produtos necessários para o ciclo completo de exploração de petróleo: é possível montar um organograma mostrando esse ciclo e os equipamentos respectivos?
    P.V. – A GE é líder no fornecimento de soluções para o setor de petróleo e gás, com um vasto portfólio. Os produtos vão de equipamentos para perfuração e exploração, como cabeças de poço e árvores de natal, transporte, como tubos flexíveis, a equipamentos de geração e controle de energia nas plataformas, como turbogeradores e compressores. A empresa oferece ainda serviços de apoio, montagem e manutenção. Temos um quadro que ilustra bem a distribuição dos nossos produtos e serviços.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *