Produtos Químicos e Especialidades

19 de setembro de 2017

Filtração: Evolução dos auxiliares busca aumentar qualidade e eficiência do processo

Mais artigos por »
Publicado por: Antonio Carlos Santomauro
+(reset)-
Compartilhe esta página
    Petróleo & Energia, Dolomita tem baixa dureza e ajuda no controle do pH

    Dolomita tem baixa dureza e ajuda no controle do pH

    Petróleo & Energia, Quartzo, mais duro, é preferido pelos clientes industriais

    Quartzo, mais duro, é preferido pelos clientes industriais

    Petróleo & Energia, Diatomita ainda tem grande demanda no mercado de bebidas

    Diatomita ainda tem grande demanda no mercado de bebidas

    Auxiliares de filtração são utilizados em ampla escala em diversos segmentos industriais – produção de químicos, alimentos, bebidas, medicamentos, combustíveis, entre outros –, aos quais eles proporcionam pelo menos dois benefícios. Colaboram, inicialmente, com a melhoria da qualidade dos produtos filtrados, ajudando a retirar impurezas e a conferir-lhes características como brilho e transparência. Mas podem também acelerar esse processo: por exemplo, reduzindo a periodicidade das paradas para limpeza dos filtros e retirada das tortas (como são chamadas as placas que se acumulam sobre os filtros).

    Petróleo & Energia, Vegas: auxiliar filtrante com funções adicionais é novidade

    Vegas: auxiliar filtrante com funções adicionais é novidade

    A maior parte dos auxiliares de filtração é composta por minerais (muitos deles integrantes do grupo das argilas): bentonita, diatomita, perlita, sílicas, entre outros. Cada um deles atinge índices próprios na relação entre custos e benefícios, e tem características físicas e químicas também individuais, em quesitos como compatibilidade com o que se pretende filtrar e capacidade de assumir diferentes índices de granulometria, que os tornam mais ou menos indicados para determinadas aplicações. Conjugados, esses fatores atualmente impulsionam o espaço dedicado aos produtos confeccionados com perlita, uma rocha vulcânica que submetida a tratamentos térmicos expande rapidamente seu volume, passando a combinar baixa densidade com permeabilidade.

    A perlita tem uso já bem estabelecido, especialmente na produção dos mais variados gêneros de componentes alimentícios e bebidas: vinhos, cervejas, sucos, refrigerantes, óleo vegetais, edulcorantes, hidrocolóides, entre outros. E, nessas aplicações, ela tem como principal alternativa de uso as diatomitas – também chamadas de terras diatomáceas –, formadas por deposição de restos fossilizados de carapaças de microalgas em mares e lagos, e utilizadas também na filtragem de derivados de petróleo e biocombustíveis, entre outros produtos.

    Maior fornecedora de auxiliares de perlita no Brasil, em março último a multinacional de origem francesa Imerys reforçou sua presença nesse mercado, integrando a seu portfólio a marca Fluitec, com a qual a então concorrente Tetraquímica oferecia auxiliares de perlita (a Tetraquímica mantém-se ativa em outros mercados, como cargas e isolantes térmicos). “Além de conhecimento de alguns grades específicos com os quais essa marca trabalhava, o controle da Fluitec nos permite principalmente aprofundar sinergias e ampliar nossa representatividade nesse mercado”, diz John Gil Vegas, responsável por marketing e vendas técnicas da divisão de filtragem da Imerys.

    No Brasil, a Imerys produz auxiliares de perlita em uma planta localizada em Paulínia-SP. Ao mercado nacional, fornece também diatomita, importada de outras de suas operações. Ao menos por enquanto, esses dois gêneros de auxiliares têm usos complementares, cabendo a esse último, especifica Vegas, papel mais relevante nas filtragens mais finas – de bebidas, por exemplo –, pois esse mineral pode ser reduzido a partículas menores (comparativamente ao que é possível fazer com a perlita). Mas a evolução tecnológica poderá alterar essa equação. “Já conseguimos micronizar também a perlita em partículas muito pequenas”, complementa.


    Página 1 de 3123

    Compartilhe esta página







      0 Comentários


      Seja o primeiro a comentar!


      Deixe uma resposta

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *