Sem categoria

Fenasan: Baixo investimento em saneamento aumenta o temor da falta de água

Hamilton de Almeida
5 de outubro de 2016
    -(reset)+

    Para enfrentar a cada vez mais complexa destinação final do lodo resultante do tratamento de água e esgoto, tanto industrial como doméstico, a Pieralisi dispõe do secador térmico em aço inox 316 L. O produto é capaz de reduzir a quantidade de água no lodo para taxas que variam de 5% a 20%, realizando, ainda, a adequação sanitária do material e eliminando os patógenos. Uma vez processado adequadamente, o lodo pode ser vendido aos agricultores, reduzindo os custos operacionais das ETEs.

    A tecnologia da empresa tem como princípio a evaporação da água por meio de troca de calor por convecção. O lodo resultante chega a 95% de sólidos secos. A Pieralisi é um dos maiores fabricantes de secadores térmicos do mundo e sua base no Brasil está instalada em Louveira-SP. Rico sustenta que a “vontade política” pode mudar a face do setor, já que o mercado tem uma certeza: “Cada R$ 1 investido em saneamento, economiza R$ 3 em saúde pública”.

    A Tecniplas difundiu os megatanques de compósitos em PRFV (plástico reforçado com fibras de vidro) para armazenagem de até 4,5 milhões de litros, que substituem com vantagens os similares de concreto e aço vitrificado em aplicações na área de saneamento. “Já estamos recebendo pedidos de cotações”, revelou o diretor Giocondo Rossi Neto.

    A sua expectativa é grande com relação ao futuro desse produto, principalmente a partir da retomada da economia brasileira. Acredita-se que, lentamente, o setor de saneamento irá deixando para trás o tradicional reservatório de concreto.

    “Por ser muito poroso, o concreto requer a impermeabilização com borracha. Além de elevar o preço do tanque, esse revestimento tem vida útil limitada”, declarou Rossi. “Então, depois de três ou quatro anos, a água começa a atacar a estrutura de aço presente no concreto, exigindo investimentos pesados em manutenção ou até mesmo a troca do reservatório”. Os compósitos em PRFV são imunes à corrosão, possuem elevada resistência mecânica e podem ser formulados com resinas próprias para o contato com a água potável.

    Três novos equipamentos fabricados em conjunto com a suíça Terra AG para instalação não destrutiva de cabos e dutos foram expostos pela Empretec: o X400 é utilizado para substituição de tubulação. Raphael Feltrin, executivo de vendas, informou que a tubulação antiga é quebrada e compactada no solo, ao mesmo tempo em que é instalada a nova. A tubulação nova pode ser do mesmo diâmetro ou maior que a anterior. O Mini-Jet (MJ 1600) opera em condições mínimas de espaço e é considerado ideal para trabalhar em ligação de ramais.

    O TJ 5415 (perfuratriz direcional) é utilizado na instalação de tubulações de até 660 mm. O equipamento é capaz de perfurar até 200 m de distância. Com sede em Guarulhos-SP, a Empretec atua há 46 anos no país e mantém parceria com a Terra há dois anos.

    O presidente da AESabesp, Olavo Sachs, encerrou os eventos informando que, em 2017, a Fenasan e o Encontro Técnico acontecerão, simultaneamente, com o 29º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental – ABES, “no moderno e amplo complexo São Paulo Expo, de 2 a 6 de outubro”. E comemorou: “40% da área de exposição já está reservada”.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *