Engenharia – Petrobras mantém investimentos, mas reavalia alguns projetos

A Petrobras planeja investir US$ 236,5 bilhões (R$ 416,5 bilhões) até 2016, perfazendo a média anual de US$ 47,3 bilhões. Desse total, US$ 208,7 bilhões estão destinados a 833 projetos em implantação e US$ 27,8 bilhões reservados para os 147 projetos que se encontram em fase de avaliação. Entre os projetos que sofreram alteração na execução estão algumas plataformas, o Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro e a Refinaria Abreu e Lima (Pernambuco).

Do total de investimentos, R$ 141,8 bilhões foram alocados para projetos de exploração e produção de petróleo e gás natural, que envolvem pesquisa exploratória, construção de sondas de perfuração, plataformas de produção, dutos submarinos, instalações de  tratamento de óleo e gás, além de projetos de menor porte.

Segundo a companhia, os projetos destinados aos segmentos de refino, transporte e comercialização de petróleo e derivados vão requerer investimentos de US$ 65,5 bilhões, de 2012 a 2016, dos quais US$ 31,2 bilhões para projetos de ampliação do parque de refino, incluindo a implantação de quatro novas refinarias de grande porte em prazos ainda indefinidos.

O segmento de gás e energia irá absorver, em seus projetos, US$ 13,8 bilhões, principalmente em geração elétrica, gasodutos, regaseificação e produção de fertilizantes, tendo o gás como matéria-prima. No segmento petroquímico, os projetos envolvem aplicações de US$ 5 bilhões nos próximos cinco anos. Em empreendimentos para biocombustíveis, serão investidos US$ 3,8 bilhões; e em distribuição de combustíveis, US$ 3,6 bilhões, no mesmo período.

O Plano Anual de Negócios para 2012 prevê aplicações totais de R$ 87,5 bilhões, dos quais 95% no Brasil. Entre os projetos em execução no país nos próximos anos, destacam-se: a construção simultânea de 20 plataformas de produção, 33 sondas de perfuração, 49 navios-tanque, centenas de barcos de apoio offshore, quatro refinarias de grande porte, uma fábrica de fertilizantes, centenas de quilômetros de dutos terrestres e marítimos, plantas de processamento de gás e uma infinidade de obras de menor porte.

Do total de investimentos previstos para 2012, R$ 83 bilhões serão investidos no país e R$ 4,2 bilhões em atividades no exterior, onde a empresa atua nas áreas de exploração e produção, refino, geração de energia elétrica e comercialização. O plano prevê a colocação de encomendas no mercado fornecedor de serviços, materiais e equipamentos com uma taxa de conteúdo local de cerca de 67%, o que significa um nível de contratação no país em torno de R$ 50 bilhões anuais.

 

Leia a reportagem principal:[box_light]Engenharia – Petróleo e gás puxa a fila dos clientes em fase de expansão[/box_light]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios