Energia verde e reindustrialização brasileira: governo espera captar R$ 10 bilhões com títulos verdes

Ministro da Fazenda destaca objetivo de não apenas exportar energia sustentável, mas também fabricar produtos verdes no Brasil

Energia verde e reindustrialização brasileira: governo espera captar R$ 10 bilhões com títulos verdes

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, expressou o desejo de que o Plano de Transformação Ecológica do Brasil vá além de ser apenas uma proposta para exportar energia sustentável e se torne a base para uma nova onda de industrialização no país.

Haddad afirma que não devemos nos contentar em ser apenas exportadores de energia limpa, como o mundo gostaria. Ele acredita que uma parte significativa dessa energia limpa deve ser consumida no Brasil para a fabricação de produtos verdes, sendo esse o objetivo final.

Ao chegar na Bolsa de Valores de Nova York para o evento Brasil em Foco, que reúne investidores, políticos e empresários, o ministro destaca que o governo espera captar R$ 10 bilhões com títulos verdes, valor considerado pequeno por ele. Haddad ressalta que o Brasil tem condições de atrair muito mais recursos do exterior devido à sua matriz energética, considerada a melhor do mundo. Ele acredita que o país tem capacidade de dobrar a produção de energia limpa em menos de dez anos.

A ideia é que, ao aumentar a produção de energia sustentável, o país possa não apenas exportar energia, mas também produtos manufaturados de maior valor agregado, provenientes da economia verde.

No entanto, a falta de qualificação no Brasil pode ser um obstáculo. Apenas 20% dos jovens brasileiros de 18 a 24 anos estão matriculados na universidade, de acordo com dados da Pnad Contínua de 2022, do IBGE.

O ministro reconhece que a tão esperada reforma do ensino médio é responsabilidade dos governos estaduais e ainda não foi implementada. No entanto, ele não acredita que a falta de profissionais qualificados será um problema se o desenvolvimento esperado com a nova industrialização ocorrer. Ele menciona o exemplo do governo Lula, quando o país crescia a uma taxa de 4% ou 5% e não houve escassez de mão de obra.

A ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, destaca que, para combater as mudanças climáticas, o Brasil precisa não apenas de medidas de mitigação e adaptação, mas de uma verdadeira transformação. Ela vê o plano verde de Haddad como uma oportunidade nesse sentido.

Durante sua visita a Nova York, o ministro se encontrou com mais de 60 fundos de investimento e recebeu uma resposta positiva. O presidente do BID e ex-presidente do Banco Central do Brasil, Ilan Goldfajn, afirmou que essa é uma grande oportunidade para o Brasil, a América Latina e o mundo todo, tanto para os governos quanto para o setor privado. Ele acredita que há um potencial para a economia dar um salto, mas ressalta que a América Latina já perdeu muitas oportunidades.

Energia verde
Energia verde/foto ilustrativa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios