Energia elétrica deve ficar 5% mais cara em 2023

Com os custos de energia cada vez mais altos, empresas têm aderido aos projetos luminotécnicos em busca de eficiência energética

Cálculos de consultorias especializadas no setor indicam que as tarifas da energia elétrica devem subir cerca de 5%, em média no próximo ano, praticamente o mesmo da inflação projetada pelo Banco Central – de 4,6% de IPCA. O último trimestre do ano apresenta-se como uma oportunidade para que as empresas ajustem seus caixas e avaliem quais ações podem ser feitas para que as tarifas de energia não impactem diretamente os seus negócios. Os projetos luminotécnicos ganham destaque.

De acordo com Roberto Payaro, CEO da Novvalight, vem aumentando o número de empresas, de todos os portes e segmentos, que buscam soluções para o problema aderindo a implementação de projetos luminotécnicos em seus ambientes corporativos. “A cada reajuste na conta de energia, pelo menos 80% dos contatos que recebemos são de pessoas interessadas em saber como podem otimizar seus custos operacionais por meio de um projeto luminotécnico eficiente. Deste montante, cerca de 1/3 aderem à solução, já que a consultoria visa a eficiência energética e a segurança; gera maior e melhor aproveitamento da área; melhor visibilidade dos produtos; maior produtividade e grau de proteção para a segurança dos colaboradores; menores custos de energia, com manutenção e troca de equipamentos; e maior lucro e competitividade no mercado”.

 

Vários fatores são considerados no projeto: tipo, quantidade e disposição das lâmpadas, a planta do local, análise das estruturas e das atividades executadas, mapeamento dos pontos de claridade X e a incidência de luz natural. Essa análise evita que sejam instaladas luzes em excesso (o que reflete no aumento da conta de energia) e que falte instalação de pontos de luz que prejudicam a execução das atividades, o rendimento da produtividade e podem até causar acidentes de trabalho. “Com a economia gerada pela implementação é possível ter o retorno do investimento inicial em cerca de 12 a 18 meses”, garante o CEO da Novvalight.

Roberto Payaro, presidente da Novvalight
Roberto Payaro, presidente da Novvalight

Projetos Luminotécnicos: Economia e sustentabilidade

Um fator fundamental de um projeto luminotécnico é a economia, uma vez que a energia elétrica será um custo efetivo para os moradores ou proprietários de um empreendimento. Nesse sentido, as lâmpadas de LED ganham grande destaque: são duráveis, de alta qualidade,  econômicas e duram mais tempo.

Outra vantagem das lâmpadas de LED é a sustentabilidade: elas são recicláveis e fáceis de serem descartadas. As lâmpadas fluorescentes, por outro lado, contêm mercúrio e outros metais pesados, representam perigo para nossa saúde, por isso requerem maior cuidado no descarte.

Dados da Associação Brasileira das Concessionárias de Iluminação Pública (ABCIP) mostram que o país tem cerca de 16 milhões pontos de iluminação pública, e a maior parte ainda conta com lâmpadas poluentes e de baixa eficiência. O uso de lâmpadas de LED é um fator determinante para aliar tecnologia, economia, sustentabilidade e mais segurança em um único projeto. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Iluminação (Abilux), o uso de tecnologia LED em lâmpadas e luminárias reduz em até 70% o consumo de energia na iluminação pública e em 50% em residências, indústrias, escritórios, estabelecimentos comerciais e públicos e escolas entre outros ambientes.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios