Distribuição: Comércio químico resiste à crise e planeja ações para crescer no futuro

Petróleo & Energia, Verzemiassi: regulamentações tendem a ficar mais rigorosas
Verzemiassi: regulamentações tendem a ficar mais rigorosas

“Estamos habituados a atuar em mercados exigentes, como o setor farmacêutico e a indústria de alimentos”, ressaltou José Eduardo Verzemiassi, diretor da Cosmoquímica, da qual deverá ser o principal executivo operacional, substituindo fundador, que se concentrará no planejamento estratégico. “Temos estrutura para ampliar o portfólio e equipes preparadas para isso, além de contar com gestão avançada, que facilita o planejamento”, considerou.

Atualmente, cerca de 30% do faturamento da Cosmoquímica é obtido no setor farmacêutico, a maior fatia do bolo. Também são muitos importantes os segmentos de nutrição humana, alimentação animal e cosméticos. “Deixamos de atuar com força no setor de tintas, fazemos vendas ocasionais, quando solicitados”, explicou Verzemiassi. Os clientes industriais ainda representam 20% das vendas, dispersos em vários setores.

O mix de produtos registra predomínio dos importados (entre 55% e 60%) sobre os nacionais (de 45% a 40%). Como os insumos farmacêuticos e alimentícios apresentam, em geral, tempo de prateleira curto, a gestão de estoques e da cadeia de suprimentos é crítica, contando com o apoio de um software específico.

O planejamento das importações é meticuloso, buscando trazer contêineres fechados para diluir custos logísticos. “Além disso, reavaliamos as projeções de vendas para reduzir o volume estocado de forma responsável”, considerou.

Ele aponta que a competição para suprir o setor farmacêutico aumentou, mas a expertise é fundamental. “Esse mercado é extremamente regulado, exige uma série de licenças e de fiscalizações, não só oficiais, mas também as realizadas pelos clientes, nós atuamos nesse segmento há mais de 15 anos e sabemos como é difícil atuar nesse ramo”, afirmou. E o setor de alimentos segue a mesma tendência.

A Cosmoquímica opera quatro áreas de negócios: industrial, alimentos, cosméticos e domissanitários, e farmacêutico e veterinário. Cada um é comandado por um gestor que lida com os principais clientes de sua respectiva área, com foco no atendimento e não no preço de venda. “A maioria das vendas é feita pelo pessoal interno, por telefone, com apoio do nosso sistema de CRM”, explicou. O operador acompanha o ritmo de compras de cada cliente e procura se antecipar às necessidades dele.

Como explicou, a Cosmoquímica abrange duas empresas, a distribuidora (que vende produtos e também serviços) e a companhia de armazenamento. Somadas, elas representam perto de R$ 65 milhões/ano de faturamento. “A prestação de serviços tem grande potencial para crescer, porque boa parte da produção nacional química foi transferida para outros países e os fabricantes passaram a necessitar de apoio para armazenar, entamborar, diluir e misturar produtos”, comentou. A Cosmoquímica faz todas essas operações, inclusive a diluição de peróxido de hidrogênio.

O primeiro semestre de 2016 está sendo complicado para os negócios, mas Verzemiassi espera alcançar a meta de crescimento de 3% em dólares. “As variações cambiais causam algum desconforto, mas administrável”, avaliou.

Em 2014, a empresa montou um projeto para ampliar sua área de armazenagem de inflamáveis embalados. Obteve a aprovação dos órgãos competentes, mas engavetou a ideia esperando melhor momento para desenvolvê-la. “Os investimentos em curso estão voltados para aprimorar a gestão”, comentou o diretor.

Segundo informou, a maior parte das vendas ainda é feita dentro do Estado de São Paulo, embora a região de Anápolis-GO tenha aumentado sua produção de medicamentos, demandando produtos específicos. Ele recomenda cuidado com produtores de medicamentos que direcionam a maior parte de suas vendas para o setor governamental. Tradicionalmente, a liberação dos pagamentos oficiais demora além do previsto, exigindo conceder crédito com prazo mais longo para esses clientes. “Nossa área financeira acompanha isso, além de outros setores, com muito cuidado”, afirmou.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios