Tendência

Janeiro de 2023 terá reajuste médio de 5,6% na conta de luz

Reajustes sofrerão alteração a partir de janeiro com porcentagens diferentes em cada conta de luz.

Durante a transição de governo, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), entregou um relatório ao grupo representante do Ministério de Minas e Energia com a estimativa para os reajustes das contas de energia no país.

De acordo com a Aneel, a estimativa é de uma média de 5,6% de aumento a partir de janeiro de 2023, mesmo com as boas condições dos rios favorecendo as hidrelétricas para geração de energia e a bandeira tarifária verde para o consumidor.

Os reajustes terão valores diferentes em cada empresa. Sete distribuidoras de energia terão um reajuste de 10%, outras 15 oscilarão entre 5 e 10%. Entretanto, 17 outras empresas não passarão dos 5% de reajuste e mais 13 não terão nenhum tipo de alteração.

Com a diferença repassada, resta ao consumidor buscar estratégias para obter descontos e reduzir o consumo. Para ajudar as famílias em situação de vulnerabilidade, o Governo Federal criou o programa Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), que concedem descontos entre 10 e 100% do valor para cidadãos cadastrados no Cadastro único (CadÚnico).

Os critérios para o desconto serão baseados no consumo mensal e nas características familiares.

  • Consumo de até 30 kWh ao mês: 65% de abatimento;
  • Consumo entre 31 kWh e 100 kWh ao mês: 40% de abatimento;
  • Consumo entre 101 kWh e 220 kWh ao mês: 10% de abatimento.

Grupos indígenas e quilombolas também terão direito ao benefício. Como o comportamento da família indígena é diferente, os descontos também serão aplicados com base nos recursos familiares.

  • Consumo de até 50 kWh ao mês: 100% de abatimento;
  • Consumo entre 51 kWh e 100 kWh ao mês: 40% de abatimento;
  • Consumo entre 101 kWh e 220 kWh ao mês: 10% de abatimento.

Residências que consomem mais de 220 kWh por mês, não terão direito ao abatimento, mesmo fazendo parte de grupos beneficiados. Por esse motivo, os consumidores devem buscar estratégias para economizar o uso da energia elétrica e se beneficiar dos programas disponibilizados pelo Governo Federal.

luz
luz

Para saber como é possível reduzir os custos com a conta de energia elétrica, é importante saber quais os aparelhos elétricos ou hábitos que fazem uso indevido do recurso.

 

  • Chuveiro elétrico – O aquecimento de água corresponde a cerca de 20% da energia elétrica consumida. Evite banhos longos, controle a temperatura e escolha aparelhos com o consumo baixo.

 

  • Geladeira, freezer e refrigerador – Você sabia que a geladeira corresponde a cerca de 30% do consumo mensal? Os principais motivos são: portas abertas com frequência, manter o refrigerador em cômodos abafados que exigem que ele trabalhe mais para refrigerar o alimento e por último, manter a geladeira limpa.

 

  • Controle o uso do ferro elétrico – 7% dos gastos de energia elétrica correspondem ao uso de ferro elétrico. O ideal é selecionar se todas as peças necessitam do uso do ferro de passar e passar apenas o que realmente é essencial. Outra dica valiosa é acumular as peças para passar com menos frequência.

 

  • Apague as luzes – Aproximadamente 20% da conta de energia é pelo uso de lâmpadas. Procure fazer uso da luz natural, evite deixar lâmpadas ligadas em cômodos vazios, em ambientes externos e de passagem, opte por sensores de presença. Troque lâmpadas incandescentes por luzes fluorescentes e led.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios