Tendência

Petrobrás anuncia combustível mais barato em dezembro

Primeira semana do mês tem redução de até R$0,40 no litro do combustível

Anunciado, no Rio de Janeiro, nesta terça-feira (6 de dezembro), pela Petrobrás, os preços da gasolina e do diesel passarão por um reajuste, e devem ficar mais baratos a partir desta quarta-feira (07) nos postos de combustível do Brasil. De acordo com a estatal, ação pretende parear com os valores praticados no comércio mundial. “Essas reduções acompanham a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da Petrobras, que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio”, afirma em nota.

Sem reajuste desde setembro de 2022, quando a gasolina passou de R$ 3,53 para R$ 3,28, nova redução chega a 6,1%. Segundo a Petrobrás, gasolina vai de R$3,28 para R$3,08 o litro, uma redução de R$ 0,20.

Já o diesel A atingiu a marca de redução de 8,2%, ou seja, de R$ 4,89 para R$ 4,49, R$ 0,40 centavos por litro. A última alteração aconteceu também neste ano, no fim de setembro, com redução de R$ 0,30 centavos.

Mesmo após o anunciado, não é possível afirmar quando o consumidor deve esperar de redução na bomba de combustível nos postos do país, já que o repasse depende de cada revendedor.

De acordo com a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustível), até 3 de dezembro, o preço médio da gasolina repassado para o consumidor era de R$ 5,03 e o diesel R$ 6,55.

Como é formado o preço do combustível no Brasil?

combustível
combustível

Os valores dos combustíveis em todo mundo são baseados no preço do barril do petróleo. Por se tratar de um commodity, ou seja, um produto básico global não industrializado, tem seu preço determinado pela oferta e procura internacional, os valores seguem um padrão mundial de acordo com o dólar, moeda utilizada pelas commoditys. Embora tenha um valor global, os valores podem sofrer grandes variações de acordo com a moeda do país em relação ao dólar. Desde 2016 a Petrobras usa como critério de precificação a Política de Paridade Internacional (PPI).

No Brasil os valores repassados ao consumidor são formados por impostos federais e estaduais – Cide (Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico), PIS/Pasep (Programa de Integração Social e Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público), Cofins (Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) e o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). Outra parte corresponde a Petrobrás, custos com distribuição e revenda, adição de biocombustíveis (a gasolina comum tem 27,5% de etanol anidro e a premium, 25%; o diesel tem 10% de biodiesel)

De acordo com a Petrobrás um terço do preço da gasolina é formado por tributos – 33,6%, deles 24,1% estaduais e 9,5%, federais. Já o diesel tem 11,7% de ICMS R$ 0,82 e federais 0% desde março de 2022.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios