CNI procura projetos de redução de gastos com energia na indústria

Trata-se do Aliança 2.0, projetos para CNI, que reduzam gasto com energia na indústria

 

CNI e os projetos que reduzam gasto com energia na indústria. A Confederação Nacional da Indústria (CNI) e a Eletrobras, com o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) e da Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), apresentam chamada pública para o Programa Aliança 2.0. O programa vai oferecer R$ 20 milhões em quatro anos para projetos de eficiência energética em 24 plantas industriais.

No prazo de quatro anos, os escolhidos receberão R$ 20 milhões para desenvolver  projetos de eficiência energética em 24 indústrias energointensivas, que precisam de uma grande oferta de energia para poder funcionar adequadamente. Empresas interessadas em reduzir custos com energia podem participar da chamada se cadastrando no site do Programa.

CNI e os projetos que reduzam gasto com energia na indústria

O Programa Aliança foi desenhado para grandes consumidores de energia. Para ser elegível a participar da iniciativa, a indústria deve possuir uma demanda contratada mínima de 10 megawatts (MW) médio de potência elétrica, ou um consumo de energia anual médio de 87.600 MWh/ano ou, no mínimo, um consumo de energia térmica equivalente a 500.000 GJ/ano (gases e combustíveis).

A iniciativa ajuda grandes indústrias a racionalizar o consumo de energia nos processos de produção. Além da reduzir custos, contribui com a queda das emissões de gases do efeito estufa. Nos próximos meses, 24 indústrias de grande porte devem aderir ao Programa Aliança, uma iniciativa ambiciosa que pretende melhorar a eficiência energética nos processos de produção. Na terceira fase, que se encerra em 2024, serão investidos R$ 20 milhões em ações que visam à redução do consumo de energia e de água por meio de ajustes nos processos de produção. O programa também identifica oportunidades de tratamento e reaproveitamento de efluentes e resíduos e de redução das emissões de gases do efeito estufa.

Criado em 2015, o Programa Aliança é resultado de uma parceria entre a Confederação Nacional da Indústria (CNI), a Associação dos Grandes Consumidores Industriais de Energia e de Consumidores Livres (Abrace), o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) e as indústrias. “O foco é ajudar as grandes indústrias, especialmente aquelas cujos processos são complexos e intensivos no consumo de energia, a enfrentar o desafio da eficiência energética. O uso racional da energia é uma alternativa internacionalmente reconhecida para reduzir os custos e os impactos ambientais”, afirma o especialista em Energia da CNI, Rodrigo Garcia.

Desde 2017 o Programa Aliança foi implementado em 12 plantas industriais de setores como o siderúrgico, o químico, o de cimento e o automobilístico. “Os resultados encontrados até o momento são promissores”, destaca Garcia. Segundo ele, o programa identificou projetos capazes de proporcionar uma economia de R$ 161 milhões por ano às empresas. Entre as iniciativas, 65% já foram implementadas.

www.petroleoenergia.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios