Ceará e a energia eólica: estado é o quarto que mais produz

Estado sofreu com um apagão no último sábado (19)

Segundo uma pesquisa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Ceará ocupa a quarta posição como maior produtor de energia eólica no Brasil.

O Estado possui um total de 2,568 GW de capacidade de geração e 98 parques eólicos instalados, com um total de 1,138 aerogeradores.

Em primeiro lugar estão o Rio Grande do Norte e a Bahia, com 248 e 276 parques em funcionamento, respectivamente. Apesar de ter menos parques, o Rio Grande do Norte possui 163 aerogeradores a mais do que a Bahia, garantindo assim o topo do ranking de produção.

Em termos numéricos, o Rio Grande do Norte possui 7,872 GW e 2,991 aerogeradores, enquanto a Bahia possui 7,633 GW e 2,828 aerogeradores.

O Piauí ocupa a terceira posição, com 108 parques eólicos instalados e 1,246 aerogeradores, totalizando 3,583 GW.

De acordo com Elbia Gannoum, presidente da Associação Brasileira de Energia Eólica e Novas Tecnologias (ABEEólica), o destaque do Nordeste se deve aos investimentos significativos na tecnologia.

Por exemplo, o Estado que mais se aproxima do Ceará é o Rio Grande do Sul, ocupando a quinta posição, com uma capacidade de geração de 1,835 GW. São Paulo não aparece entre os dez primeiros no ranking. O Rio de Janeiro possui apenas 28,05 MW e um parque eólico instalado com 17 aerogeradores.

Apagão atingiu o Ceará recentemente

No sábado (19), ocorreu um novo apagão no fornecimento de energia elétrica em 44 cidades do Ceará. A interrupção durou aproximadamente uma hora e meia, sendo que o serviço começou a ser restabelecido por volta das 6h da manhã. A causa desse apagão está sendo investigada.

A falta de energia causou transtornos no trânsito durante a manhã de sábado. Os semáforos desligados resultaram em congestionamentos em vários bairros da capital cearense.

Conforme a Enel, empresa responsável pela distribuição de energia no Ceará, o desarme da linha de transmissão da Chesf (Companhia Hidro Elétrica do São Francisco), subsidiária da Eletrobras, foi o que provocou a interrupção. A Enel afirmou que o sistema foi desligado devido a oscilações na rede.

A Eletrobras afirmou que a falha ocorreu na parte da linha compartilhada que pertence à Enel. Segundo a empresa, o problema ocorreu no setor de 69kV, que é de responsabilidade da Enel Ceará.

A Enel Distribuição Ceará esclareceu que, após o desarme na linha da empresa transmissora que atende o Ceará, foi identificado um desligamento também em sua linha de transmissão de 69 KV, causando a interrupção no fornecimento de energia para alguns clientes nas regiões metropolitanas e em Fortaleza. A Enel restabeleceu a energia gradualmente em pouco mais de uma hora e está trabalhando em conjunto com a Chesf para investigar os eventos.

A Eletrobras explicou que o desligamento ocorrido no sábado teve origem em um defeito na subestação Pici 2, em um setor sob responsabilidade da Enel Ceará. A subestação é compartilhada entre a Eletrobras Chesf e a distribuidora Enel Ceará, sendo que o setor de 69kV é de responsabilidade da Enel Ceará. A Eletrobras Chesf informou a disponibilidade de seus ativos ao Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) imediatamente após o desligamento, procedendo ao restabelecimento do setor de 230kV após a autorização da Enel Ceará.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios