Brasil Offshore: Vitrine do setor exibiu novidades

“Por que usar sistemas redundantes? A resposta mais simples é que, para processos que não toleram interrupções, como os aplicados em plataformas de petróleo ou indústrias químicas, por exemplo, se uma válvula falhar, a solução redundante sempre oferecerá outra, de suporte, para manter o funcionamento seguro enquanto se realiza a correção do problema no primeiro equipamento”, destacou Ricardo Rodrigues, CEO da Norgren para o Brasil e para a América Latina.

“Pela primeira vez, um sistema redundante evita utilizar tubagem ao incorporar todas as funções. E, com apenas uma entrada e uma saída, sua instalação é rápida e simples, e minimiza possíveis pontos de vazamento. As soluções redundantes, ao oferecer a possibilidade de administrar interrupções, contribuem para o processo de planejamento, deixando a produção mais inteligente”, concluiu o executivo da empresa, que atua há 38 anos no país.

PRAXAIR SURFACE TECHNOLOGIES

Subsidiária integral do grupo Praxair, a Praxair Surface Technologies apresentou também uma novidade para o mercado brasileiro: o revestimento SermaGard 1105/1280, sistema com base de alumínio e resina de fluorpolímero no topo, projetado para fornecer excelente proteção contra a corrosão salina e ao raios UV para fixadores e componentes expostos aos ambientes de atmosfera marítima (offshore) e submarinos (subsea). “O SermaGard pode substituir camadas de cádmio em fixadores e ainda proporciona proteção catódica em equipamentos expostos a atmosferas corrosivas. Também pode ser associado a camadas de topo com características lubrificantes (bissulfeto de molibdênio) ou antiaderentes e de baixo atrito (PTFE)”, explicou Nelson de Oliveira, gerente de vendas da Praxair Surface Technologies do Brasil. Segundo ele, já existem diversas homologações desse revestimento na indústria de óleo e gás. “Agora que este revestimento está disponível no Brasil, a empresa acredita numa crescente utilização desta tecnologia”, afirmou.

Segundo Oliveira, a aplicação dos revestimentos é feita em cabines com temperatura e umidade controlada, filtragem avançada e sistemas para garantir um ambiente seguro e ambientalmente amigável. “Esta célula é capaz de revestir peças pesando até 10 toneladas e dimensões até 2 m x 2 m x 6,5 m em uma gama variada de geometrias”, detalhou.

Com mais de 30 fábricas em 13 países, a Praxair Surface Technologies oferece uma gama completa de revestimentos de alto desempenho e tecnologias para as indústrias de aviação, energia e outras.

ROLLS-ROYCE

BR-OFF-RolsRoyce_Anders-Almestad , Petróleo & Energia ©QD Foto: DivulgaçãoOs equipamentos destinados a quatro navios de apoio a plataformas offshore (PSVs, na sigla em inglês), que estão em construção no estaleiro Detroit Brasil, subsidiária do grupo chileno localizada em Itajaí-SC, foram os destaques da Rolls-Royce na feira, que contou com a presença do presidente de Offshore, Anders Almestad. O grupo britânico firmou contrato, anunciado durante o evento, para fornecer quatro duplas do guindaste Dual Draglink, perfazendo o total de oito guindastes, para os navios que atuarão a serviço da Petrobras por oito anos, e que serão operados pela Starnav Serviços Marítimos, empresa brasileira de apoio marítimo, também subsidiária do Grupo Detroit Chile.

“A configuração do equipamento oferece operação mais segura e eficiente, além de mais independente, tanto durante operações em porto como também em alto-mar. Permite, por exemplo, que o carregamento e a descarga da embarcação sejam feitos de forma mais rápida, assim como o deslocamento necessário da carga ao longo de todo o comprimento do navio”, afirmou Almestad. “Serão as primeiras em­­barcações offshore que poderão realizar operações de carga e descarga utilizando equipamento próprio”, frisou, lembrando que o guindaste Dual Draglink recebeu o prêmio “Innovation” durante o fórum anual Offshore Support Journal, em Londres. Esses equipamentos também integram um navio PSV em construção no estaleiro Keppel Singmarine Brasil, também em Santa Catarina, assim como a embarcação Far Solitaire, do grupo norueguês Farstad Shipping.

BR-OFF-RolssRoyce_Guindaste-para-PSVs , Petróleo & Energia ©QD Foto: DivulgaçãoLembrando que o mercado offshore mundial passa por transformações e que, no Brasil, este processo está acelerado, Almestad acrescentou que a empresa está atenta a este movimento, razão pela qual vem ampliando e reforçando seu portfólio no mercado brasileiro, o que inclui investimentos na planta produtiva do país.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios