Brasil Offshore: Vitrine do setor exibiu novidades

AKER SOLUTIONS

BR-OFF-Aker-LuisAraujo , Petróleo & Energia ©QD Foto: DivulgaçãoCom uma carteira invejável de pedidos da Petrobras, a norueguesa Aker Solutions nem precisava de vitrine. Ainda assim, a empresa preferiu se apresentar como expositora e âncora da rodada de negócios na Brasil Offshore para marcar uma posição quase imbatível. No estande foram expostas três maquetes de equipamentos usados no Brasil: o navio Skandi Santos, um navio-sonda e uma árvore de natal molhada.

A proposta de Luis Araújo, presidente da Aker, foi levar para o estande as soluções tecnológicas que a empresa desenvolve para diversas atividades do mercado offshore, do reservatório à produção (durante a vida do campo), mostrando porque acumula mais e mais contratos, os quais habilitam a empresa a incorporar novas competências.

Foi o caso da Managed Pressure Operations International (MPO), adquirida em fevereiro deste ano pelo grupo e que foi escolhida para fornecer sistemas de perfuração com pressão gerenciada (Managed Pressure Drilling – MPD) e serviços de tratamento do gás no riser para a Repsol Sinopec Brasil. O valor do contrato, de três anos, é confidencial.

O sistema de tratamento de gás no riser ajuda a controlar os fluidos do poço durante a perfuração de óleo e gás no mar. Ele detecta um influxo de gás em um riser de perfuração e desvia o gás para evitar um blowout, fluxo descontrolado de fluido da formação para o poço.

CARBINOX

A Carbinox foi com tudo nesta segunda participação na feira do Norte Fluminense, considerada estratégica para o sucesso dos negócios da empresa. “Realizar o evento no polo operacional do petróleo é fundamental, pois facilita o acesso da indústria ao evento. Isso potencializa o relacionamento entre as empresas que movimentam o setor. Por isso, estar presente na Brasil Offshore é sinônimo de bons negócios a curto e médio prazo”, afiançou Paulo Moraes Correa, diretor da Divisão Trading da Carbinox.

Quatro divisões mostraram suas soluções no evento: a de Inoxidáveis levou para a feira os tubos com costura redondos, quadrados e retangulares de aço inoxidável, tubos sem costura de aço inoxidável e barras redondas, quadradas, sextavadas, chatas e cantoneiras de aço inoxidável. Já a divisão Elétrica/Hidráulica destacou os eletrodutos rígidos e conexões de aço-carbono zincado eletrolítico, pré-zincado e galvanizado a fogo, de alumínio e aço inoxidável, além de tubos de condução pretos e galvanizados NBR5580/5590.

Tubos, barras, chapas, placas, conexões e flanges feitos de ligas especiais e superligas foram as soluções apresentadas pela divisão de Trading, enquanto a de Conexões apresentou suas soluções forjadas, tubulares e flanges de aço inoxidável, aço-carbono e aço-liga.

A empresa brasileira, que tem entre seus clientes companhias de porte como Petrobras, Odebrecht, Braskem, Technip, Camargo Corrêa, Queiroz Galvão, Nestlé, Votorantim, Usiminas, Andrade Gutierrez, Ajinomoto e Tetra Pak, completou 28 anos de atividades e um faturamento de R$ 250 milhões, em 2012.

C&C TECHNOLOGIES

BR-OFF-Daniel-Monroy_C&C-Technologies , Petróleo & Energia ©QD Foto: DivulgaçãoOutra que aposta na força das novas tecnologias para superar os desafios crescentes deste mercado é a norte-americana C&C Technologies, que festejou na Brasil Offshore a marca de 100 mil km de dados geofísicos coletados para a Petrobras em águas profundas brasileiras com o submarino AUV (Autonomous Underwater Vehicle), veículo autônomo submersível, não tripulado, desenvolvido para dar suporte à exploração de óleo e gás em águas profundas. “Este é um importante marco para nós, porque é fruto de um trabalho para a Petrobras iniciado há mais de dez anos e que também evidencia a nossa capacidade, domínio sobre uma tecnologia inovadora e o know-how de nossa equipe multidisciplinar. As necessidades cada vez maiores de precisão, rapidez e qualidade exigidas levaram ao aprimoramento do AUV ao longo destes anos”, afirmou o diretor-geral da C&C Technologies no Brasil, Daniel Monroy. Os 100 mil km de dados geofísicos coletados para a Petrobras, de 2005 até hoje, representam um terço dos dados coletados pela C&C Technologies em todo o mundo. “Seria como dar duas voltas e meia ao redor da Terra”, apontou o executivo.

A C&C Technologies trabalha em parceria com a Petrobras desde 2002, quando realizou um mapeamento de alta precisão de fundo marinho com o primeiro AUV, que utilizava tecnologia de ponta no levantamento de dados. Os resultados obtidos foram aprovados pela Petrobras e desde 2005 a C&C Technologies mantém um de seus veículos, o AUV de quinta geração, atuando exclusivamente para a empresa brasileira na coleta e no processamento de dados em alta profundidade.

Página anterior 1 2 3 4 5 6 7Próxima página

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios