Petróleo e Energia

Brasil Offshore – Rodadas de negócios e programação técnica forte atraem participantes

Bia Teixeira e Karol Lavareda
7 de junho de 2013
    -(reset)+

    Petróleo & Energia, Brasil Offshore - Rodadas de negócios e programação técnica forte atraem participantes

    Qualitas apresentará linha completa de exaustores

    A Super Finishing, fundada em 1993, com sede em São Bernardodo Campo-SP, com 4.800 m², especializou-se no tratamento de superfícies de alto desempenho, sujeitas a condições severas de operação, tornando-as capazes de resistir à abrasão e à corrosão.

    A empresa oferece tratamentos com níquel e cromo, de alta dureza, além de anodização e pinturas especiais. Seus trabalhos seguem a norma ISO 9001, certificada pelo Lloyd’s Register.

    Estreante na Brasil Offshore, a Qualitas Indústria Eletromecânica, que tomou gosto por eventos de petró- leo e gás depois de participar da versão paulista, a Santos Offshore (dos mesmos organizadores), vai aproveitar a ocasião para divulgar um lançamento: um exaustor de alta vazão para o interior de navios, com motor à prova de explosão.

    A empresa brasileira, especializada em ventilação, vai apresentar exaustores de22 polegadasde diâmetro com suportes especiais que dispõem de alças para transporte manual, hélices aerodinâmicas de alumínio, motores à prova de explosão, cabos de ligação PP (dupla isolação) com5 metrosde comprimento e pintura conforme especificações.

    “Acreditamos que a feira terá resultado muito positivo para todo o setor, que está carente de empresas técnicas e capazes de resolver problemas de exaustão e movimentação de ar.

    Temos agilidade, competência e um departamento técnico especializado para oferecer muitas soluções nessas áreas”, observa Fernanda Neira Stivalli, do setor de marketing da Qualitas.

    Vedações e lubrificantes – Soluções de vedação são os destaques que a subsidiária brasileira da EagleBurgmann, empresa de origem dinamarquesa que hoje integra o grupo alemão Freudenberg, vai mostrar no evento. Serão expostos desde selos mecânicos em conformidade com a norma API 682, selos para altas pressões, selos a gás para compressores até aplicações para injeção de CO2 na fase supercrítica e juntas de expansão confeccionadas com materiais de alta durabilidade.

    “Desenvolvemos vedações seguras e de alta performance para todo tipo de aplicação, mesmo operando nas condições mais adversas”, observa Benito De Domenico Jr., diretor-geral na América do Sul da EagleBurgmann, que se apresenta no evento desde 2007.

    “Antes participávamos por meio de um antigo representante”, observa. Os dois principais destaques da EagleBurgmann na Brasil Offshore são as selagens com a exclusiva tecnologia DiamondFace e o sistema RoTechBooster.

    “A tecnologia DiamondFace traz como diferencial a resistência a condições extremas, o que garante maior desempenho e confiabilidade que os selos convencionais, reduzindo o tempo de parada dos equipamentos para manutenção e consumo de energia”, observa.

    Segundo Domenico, a inovação consiste na deposição de diamante nas faces de carbeto de silício, criando uma área de contato de extrema dureza, maior resistência química e durabilidade, com excelentes propriedades deslizantes, podendo até operar a seco em curtos períodos de tempo.

    No caso do sistema RoTechBooster, trata-se de um booster de pressão composto de rotor centrífugo, carcaça do compressor para alta pressão, motor e acoplamento magnético, por meio do qual é eliminado o problema de contaminação do gás comprimido e perdas de gás para a atmosfera, com maior proteção ao meio ambiente e ao selo a gás.

    “Esta é uma solução que garante circulação constante de gás na selagem dos compressores e turbocompressores, assegurando maior confiabilidade ao sistema.”

    Ele é utilizado, principalmente, durante a partida e a parada dos compressores, quando a inexistência ou pequeno diferencial de pressão não possibilita a suficiente circulação de gás pelo sistema de selagem.

    “O produto é inovador pelo seu projeto centrífugo e pelo uso de acoplamento magnético, o que lhe garante uma vida útil até quatro vezes maior que a dos boosters pneumáticos de pistão, além de fornecer gás comprimido isento de pulsação e não ter problemas de funcionamento após longos períodos em stand by”, informa.

    O fato de se realizar na ‘capital operacional do petróleo’, Macaé, pesa na decisão da empresa de participar da Brasil Offshore, a despeito de ser o maior investimento em feiras, proporcionalmente, por metro quadrado, hospedagem, refeições etc. “Por conta do incremento da demanda e da inadequada infraestrutura da região, os preços disparam”, frisa o executivo.

    Petróleo & Energia, Brasil Offshore - Rodadas de negócios e programação técnica forte atraem participantes

    Domenico: sistemas de selagem operam sob condições severas

    Também integrante do grupo Freudenberg, a Klüber Lubrication, produtora de lubrificantes especiais, vai apresentar as principais soluções desenvolvidas para as indústrias de petróleo e gás. “Essas soluções, aliadas aos nossos serviços técnicos, aumentam a confiabilidade dos equipamentos e contribuem para a redução de custos operacionais”, diz Marcelo Cavalcanti da Silva, gerente de mercado responsável pelo atendimento ao setor de petróleo e gás na América do Sul. “Colaboram, portanto, para a melhoria da produtividade na medida em que garantem um melhor desempenho dos equipamentos e menor número de paradas para manutenção ou intervenções”, acrescenta Cavalcanti.

    Construção pesada – A norueguesa Aker Solutions, que iniciou a construção de nova planta fabril no Paraná, para dobrar sua capacidade local de produção de equipamentos submarinos, vai mostrar seu conhecido portfólio de soluções offshore. A empresa, que também está expandindo sua planta de serviços em Macaé, com início de operações previsto para 2014, vai apresentar o projeto da nova fábrica de São José dos Pinhais-PR, ao lado da atual, e que entrará em operação em 2015. A dupla expansão visa a atender às exigências dos contratos da Petrobras, o último deles no valor de R$ 1.600 milhões, para o fornecimento de 60 conjuntos de poço com árvores de natal verticais, sistemas de controle submarinos, ferramentas e peças de reposição para o desenvolvimento de campos do pré-sal em águas profundas no Brasil.

    “O Brasil é um mercado muito importante para a Aker Solutions e esta nova fábrica reforçará o fornecimento de equipamentos submarinos,” observa Luís Araújo, presidente das operações brasileiras da empresa. “As previsões para a indústria local de óleo e gás são muito promissoras e estamos comprometidos com o desenvolvimento de nosso potencial de produção e conteúdo local,” salienta.

    Em seu sétimo ano consecutivo na Brasil Offshore, a brasileira Vicel, que participou da OTC, vai destacar as mesmas soluções de tratamento de água cinza para o mercado de óleo e gás, apostando na demanda crescente por serviços de sua área.

    “A Vicel participa da Brasil Offshore desde a sua primeira edição em2001”, lembra o gerente de novos negócios e marketing, Hélio Brasileiro, afirmando que um dos destaques do estande será o módulo de tratamento do GWTS, o sistema de tratamento de água cinza.

    “O GWTS é uma solução pioneira, desenvolvida e fabricada com exclusividade pela Vicel, com elevado índice de conteúdo local, para atendimento aos requisitos da NT 01/11 do Ibama”, comentou.

    A empresa também vai mostrar um sistema de osmose reversa para geração de água potável a bordo de navios e plataformas, montado pela Aqua-Chem do Brasil, joint venture formada pela Aqua-Chem e Vicel para atender aos requisitos de conteúdo local da ANP.

    Tintas e revestimentos – A AkzoNobel vai reunir no estande da Brasil Offshore três de suas nove unidades de negócios no Brasil. A Powder Coatings (marcas Interpon e Resicoat) vai estrear no evento, ao lado da Marine & Protective Coatings (marca International) e da Surface Chemistry (especialidades químicas).

    A participação integrada é uma tendência, segundo Jaap de Jong, diretor da AkzoNobel para o Brasil e a América Latina.

    “Uma vez que temos um portfólio diversificado, capaz de atender a um mesmo cliente em várias situações, nada mais lógico do que apresentar todas as inovações para o mercado offshore em um único estande.”

    Entre as soluções que serão detalhadas por representantes das três unidades de negócios estão a nova linha de produtos epóxi e poliamida11 apó de alto desempenho, da marca Resicoat Corvel (Powder Coatings); o Chartek 8 (International), que está em sua quinta geração, bem como os surfactantes e polímeros especiais para uso em perfuração, produção e estimulação, como o Armovis EHS (Surface Chemistry).

    A novidade da Powder Coatings é o sistema de revestimento à base de primer fenólico com top coat epóxi em pó, proporcionando alto desempenho com ótima ancoragem anticorrosiva, tanto para superfícies novas quanto para aquelas que já sofreram algum desgaste por corrosão/erosão.

    Destinam-se ao revestimento interno anticorrosivo de tubos de aço para perfuração de poços de petróleo, produção, transporte e refino. O Chartek 8 é indicado para proteção passiva em situação de fogo do tipo pool fire (uma poça de líquido inflamável).

    Ele é voltado para os atuais empreendimentos offshore, pois protege a estrutura metálica por aproximadamente uma hora de fogo de hidrocarbonetos a uma temperatura de400°C, permitindo a evacuação do local.

    “Apresenta baixo custo, expectativa de vida em torno de 25 anos, baixa espessura, não requer malha de reforço até espessuras de7,2 mm, permitindo ser aplicado em uma única demão, testado e aprovado conforme a norma Norsok M-501, sem tinta de acabamento”, conclui.



    Recomendamos também:








    0 Comentários


    Seja o primeiro a comentar!


    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *