Avanços em usinas solares: Brasil tem futuro com energia renovável

País se destaca com a inauguração de algumas das maiores usinas solares da América Latina

Os avanços em usinas solares no Brasil estão desempenhando um papel crucial na mudança do cenário energético do país, trazendo não só energia limpa e renovável, mas também impulsionando o desenvolvimento econômico e social nas regiões onde estão instaladas. A capacitação e a criação de empregos são aspectos essenciais desses projetos, destacando a energia solar como uma fonte de progresso sustentável.

No contexto da energia renovável, o Brasil se evidencia ao inaugurar algumas das maiores usinas solares da América Latina. Além de desempenharem um papel significativo na diminuição das emissões de CO2, esses conjuntos solares estão impulsionando a criação de empregos, promovendo o desenvolvimento local e atraindo investimentos substanciais para o país.

Usina de Hélio Vargas

As usinas solares no Brasil estão se destacando não apenas por sua capacidade de geração de energia solar, mas também pelo impacto socioeconômico que estão gerando. Um exemplo é a Usina de Hélio Vargas, a quinta maior do país, localizada na zona rural do município de Vazia da Palma, Minas Gerais. Com uma capacidade de 661 MWp, essa usina é capaz de fornecer energia para 850.000 casas, utilizando 1.218.000 módulos fotovoltaicos em uma área de 1142 hectares. Desde sua inauguração parcial em 2023, a usina já gerou mais de 1700 empregos e evitou a emissão de 1,2 milhões de toneladas de CO2 por ano.

Sol do Serrado

Sol do Serrado” é o nome da quarta maior usina do Brasil, localizada em Jaíba, Minas Gerais. A Vale investiu R$ 3 bilhões nessa usina, que tem uma capacidade de 766 MWp e é composta por 1,4 milhão de módulos fotovoltaicos. O projeto começou em janeiro de 2021 e gerou cerca de 3.000 empregos, representando um grande avanço para a mão de obra local.

Usina Futura

A “Usina Futura”, localizada em Juazeiro, Bahia, ocupa o terceiro lugar, com uma capacidade de 837 MWp e 1,4 milhão de módulos fotovoltaicos. O investimento de R$ 3 bilhões pela empresa Eneva resultou em mais de 3.000 vagas de emprego, sendo 80% da mão de obra local.

Complexo Solar de São Gonzalo

Em segundo lugar está o “Complexo Solar de São Gonzalo”, no Piauí. Inicialmente conectada à rede em janeiro de 2020, a usina foi expandida para uma capacidade total de 864 MWp, com 2,2 milhões de painéis solares cobrindo uma área equivalente a 1500 estádios de futebol. A construção e expansão do complexo geraram um total de 2950 empregos, com cursos de capacitação oferecidos à comunidade local.

Complexo Solar de Janaúba

A maior usina solar do Brasil, o “Complexo Solar de Janaúba”, está localizada no norte de Minas Gerais. Com uma capacidade de 1.2 GWp, ela pode abastecer mais de 1,8 milhão de residências. A instalação de 2,2 milhões de módulos fotovoltaicos ocupa uma área de mais de 3.000 ha, equivalente a 4300 campos de futebol. A construção dessa usina gerou aproximadamente 11.000 empregos diretos e indiretos, além de capacitação profissional e reforma de espaços públicos.

Esses projetos reafirmam o compromisso do Brasil em reduzir as emissões de CO2 em 30% até 2030 e em operar com 80% da demanda de energia elétrica oriunda de projetos de autoprodução renovável até 2024. A crescente demanda por energia solar no país ressalta a necessidade urgente de profissionais qualificados. Com várias outras fazendas solares gigantes em projeto e implementação, o mercado de energia solar no Brasil está cheio de oportunidades.

usina solares
Imagem ilustrativa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios