Apesar das vantagens, energia eólica é desafiadora no Brasil

O Brasil tem grande potencial, em especial no Nordeste, pelo tipo de relevo e do clima, que geram ventos fortes para movimentar as hélices. Em 2020, a região gerou 85,6% de toda a energia eólica produzida no país. Porém, os desafios ainda precisam ser superados, como os riscos para os animais que voam perto dos parques eólicos e o custo elevado das instalações.

Os ventos são usados na geração de energia desde a Antiguidade. Mas, voltada para a produção de eletricidade, foi a partir do desenvolvimento dos moinhos no século 17, no Afeganistão e no Irã. O tempo passou e o maior produtor de energia eólica no mundo, atualmente, é a China, com capacidade instalada de 278.324 MW. Neste ranking, o Brasil aparece em sétimo lugar, junto da Índia, França, Espanha e Reino Unido. Na frente deles estão Estados Unidos e Alemanha em segundo e terceiro lugar, respectivamente. O potencial do pais é enorme para avançar nesse patamar, mas há adversidades e a energia eólica é desafiadora no Brasil.

energia eólica é desafiadora
energia eólica é desafiadora

O Brasil tem grande potencial neste setor, que corresponde a mais de três vezes a capacidade instalada no país. De acordo com a Empresa de Pesquisa e Energia (EPE), a energia eólica equivale a 8,6% da matriz elétrica do Brasil, perdendo apenas para as hidrelétricas e energia gerada da biomassa. Este potencial do país está concentrado no Nordeste e na faixa litorânea em razão do relevo e das condições atmosféricas que geram  ventos fortes para movimentar as pás.

Para se ter uma ideia, a região Nordeste produziu 85,6% de toda a energia eólica gerada no Brasil no ano 2020. Já o Sul, segunda região que mais produz energia eólica no país, gerou 11,5%. Dentro do Nordeste, o estado da Bahia foi o maior produtor, tendo em vista o surgimento de novos projetos de instalação e ampliação de parques eólicos recentemente. Os estados Rio Grande do Norte e Ceará também se destacam como grandes produtores. 

Vantagens – Gerada de uma fonte renovável (o vento), a energia eólica é limpa: não emite poluentes para a atmosfera no seu processo de produção. Os custos para implementação e manutenção de um parque eólico têm diminuído consideravelmente, tornando-o mais competitivo nos mercados internacionais. No futuro, será ainda mais vantajoso financeiramente, como a energia hidrelétrica.

A energia eólica no mundo é considerada uma fonte alternativa às mais poluentes, como as derivadas de combustíveis fósseis. No Brasil, por exemplo, é também utilizada para complementar o fornecimento de energia em casos de crise. Além de produção em grande escala, pode ser gerada por meio de pequenas turbinas para propriedades particulares, aumentando o acesso à eletricidade em áreas rurais e/ou isoladas.

Desafios – Se comparar com outras fontes, a energia eólica no mundo tem impacto ambiental muito pequeno, mas ainda são uma ameaça para os animais, como os pássaros. Não é raro eles morrerem após chocar com as turbinas quando voam em direção às hélices. E por falar nisso, o ruído das turbinas em movimento é alto, considerado um tipo de poluição sonora para quem mora perto dos parques eólicos. 

A geração de energia eólica no mundo é refém do fenômeno natural e, por isso, a implementação dos parques acaba sendo altamente seletiva. O local deve ser com alta incidência de ventos, levando em conta que a produção é também irregular, uma vez que os ventos não sopram a todo momento e com a mesma intensidade. Os custos estão diminuindo, felizmente, mas a energia eólica é desafiadora.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios